Indonésia: colheita de café poderá ser a maior em três anos

Imprimir

A produção de café da Indonésia, terceiro maior produtor de café robusta do mundo, poderá aumentar 20%, para 10 milhões de sacas nesse ano, de 8,3 milhões de sacas no ano anterior, de acordo com uma pesquisa feita pelo Bloomberg com sete exportadores, dois comerciantes e uma torrefadora. Esse é o maior volume desde 2009, de acordo com dados do Governo dos Estados Unidos, e mais que as 9,1 milhões de sacas previstas pelo Volcafe, unidade da ED&F Man Holdings Ltd.

Os futuros do café rubusta aumentaram para o maior valor em cinco meses em fevereiro, à medida que os produtores do Vietnã, maior produtor do mundo, seguraram suas ofertas. A colheita da Indonésia que começa em abril poderá ajudar a reabastecer os estoques, limitando ganhos e contendo custos para a Nestlé S.A., fabricante do Nescafé e do Nespresso. Os preços poderão cair para US$ 1.700 a tonelada de US$ 2.015 agora, de acordo com a INTL FCStone Inc.

"A tensão no mercado de robusta permanecerá por pelo menos outro mês", disse o diretor gerente de commodities da INTL FCStone, em Miami, Oscar L. Schaps. "O aumento recente atrairá mais exportações do Vietnã".

As exportações globais de café cairam em 9,9%, para 7,88 milhoes de sacas em janeiro, com relação ao ano anterior, disse a Organização Internacional de Café em 29 de fevereiro. Os envios do Vietnã caíram em 19%, para 292.000 toneladas nos primeiros dois meses do ano, de acordo com o Serviço Geral de Estatísticas em Hanoi. Os produtores mantiveram os grãos após os preços terem caído em 14% no ano passado.

"O Vietnã foi quase o único fornecedor de volume de café robusta nos últimos dois meses, até Índia, Uganda, Indonésia, Costa do Marfim ou até mesmo Brasil começarem a enviar mais volumes a partir de abril ou maio", disse o Volcafe.

A produção global de robusta excederá a demanda em 2,5 milhões de sacas nessa estação, comparado com 700.000 sacas no ano passado, disse o Macquarie Group Ltd. A expansão das colheitas de robusta contrasta com a escassez antecipada na variedade arábica favorecida pela Starbucks Corp. após as chuvas mais fortes em duas décadas terem prejudicado as plantações da América Central.

As exportações poderão aumentar em 14%, para cerca de 400.000 toneladas, disse o presidente da Associação de Exportadores de Café e Indústrias da Indonésia, Suyanto Hussein. O consumo local pode aumentar para 250.000 toneladas, de 200.000 toneladas, disse ele. A produção declinou no ano passado, à medida que uma estação chuvosa mais longa que o normal prejudicou as colheitas.

"O clima está relativamente bom para a colheita de café nesse ano", disse o diretor da exportadora PT Lintas Utama, Isdarmawan Asrikan. A época das monções não foi tão úmida quanto no ano anterior e "isso é bom para o processo de secagem, à medida que precisamos de luz do sol suficiente, resultando em grãos de boa qualidade".

 O café robusta, produzido principalmente nas províncias de Lampung, Bengkulu e South Sumatra, representa cerca de 75% da produção da Indonésia. A colheita vai de abril a julho, com colheitas menores até setembro.

A reportagem é do Bloomberg, traduzida e adaptada pela Equipe CaféPoint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *