Índice da Abic aponta suprimento limitado para a indústria, após seca no ES

Imprimir
Cafezais do Espírito Santo sofreram com a seca por dois anos seguidos. (Foto: Rogerio Albuquerque / Editora Globo)
Cafezais do Espírito Santo sofreram com a seca por dois anos seguidos. (Foto: Rogerio Albuquerque / Editora Globo)

O Índice de Oferta de Café para a Indústria (IOCI), relançado pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) no ano passado, indica disponibilidade apertada da commodity no País. No período de 9 a 13 de janeiro, o indicador ficou em 6,36 pontos, o que configura “suprimento seletivo” de arábica e conilon, ou seja, empresas não têm oferta regular das duas variedades.

Considerando-se apenas o conilon, produzido principalmente no Espírito Santo, Estado que no ano passado foi fortemente afetado pela seca, o IOCI ficou em 4,91 pontos, indicando suprimento crítico. “A oferta de conilon continua prejudicada, com menos café disponível no mercado para comercialização. Empresas reportam que não encontram vendedores para lotes de conilon em quantidade maior, restando somente lotes pequenos e que não suprem a indústria adequadamente, além de reportarem dificuldade com a qualidade exigida”, destacou a Abic em texto.

Fonte: Estadão Conteúdo via Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *