INCT/Café reúne coordenadores para debater planejamento estratégico

Imprimir

Na quinta-feira (2), pesquisadores ligados ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT/Café), com sede na Universidade Federal de Lavras (UFLA), reuniram-se para debater os novos posicionamentos do Instituto, que teve seu projeto de consolidação aprovado para mais dois anos de atuação. O INCT/Café recebe o apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), cujos recursos para os próximos anos superam três milhões de reais, quando somados o de custeio e bolsas (doutorado-sanduíche e pós-doutorado no exterior).

Para esta nova fase, será dada ênfase ao compartilhamento de equipamentos, articulação entre as linhas de pesquisa e incentivo ao maior envolvimento dos pesquisadores para a consolidação das cinco metas prioritárias: aprimorar e integrar o melhoramento clássico e molecular do cafeeiro; aplicar conhecimentos de biotecnologia na cafeicultura; Inovar no manejo de pragas e doenças do cafeeiro; desenvolver sistemas inovadores de produção de café e agregar valor na qualidade da bebida e comercialização do café.

Oportunidade de bolsas – Especificamente para os pesquisadores de café, o CNPq disponibilizou cotas para doutorado sanduíche e pós-doutorado em programas ligados INCT/Café, com a finalidade de aproximar os pesquisadores brasileiros de sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Ainda existem vagas disponíveis para o intercâmbio que, além da bolsa de estudos, prevê auxílio financeiro para passagens aéreas, auxílio instalação e seguro saúde. O prazo para a bolsa de doutorado sanduíche e pós-doutorado no exterior é de 6 a 12 meses.

Os interessados devem procurar informações em suas instituições de referência ou diretamente no INCT/Café. As bolsas disponibilizadas estão abertas a pesquisadores ou professores em atividade nas instituições signatárias do Programa: UFLA, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Embrapa Café, Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e Instituto Agronômico de Campinas (IAC).

Fonte: Ascom UFLA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *