INCT/Café avança para nova fase de articulação em rede e foco em inovação

Imprimir

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT/Café), com sede na Universidade Federal de Lavras (UFLA), teve a concessão de recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) aprovada para mais dois anos de atuação. Nesta nova fase, o INCT/Café será norteado por quatro linhas prioritárias (subprogramas): pesquisa, formação de recursos humanos, transferência de conhecimento e tecnologia e educação e divulgação da ciência.

Ainda por sugestão da agência de fomento, as atuais 15 linhas de pesquisa que compõem o Programa deverão convergir para atender a cinco grandes metas: Aprimorar e integrar o melhoramento clássico e molecular do cafeeiro; Aplicar conhecimentos de biotecnologia na cafeicultura; Inovar no manejo de pragas e doenças do cafeeiro; Desenvolver sistemas inovadores de produção de café e Agregar valor na qualidade da bebida e comercialização do café.

Essa nova orientação foi repassada aos membros do Comitê Gestor, no dia 9 de março, durante reunião realizada na sede do Instituto. Para integração entre as linhas de pesquisa, haverá a figura de um articulador para cada uma das cinco metas.

Na avaliação do coordenador do INCT/Café, professor Mário Lúcio de Resende, as mudanças deverão promover uma maior articulação dos grupos de pesquisa, otimização do orçamento e concretização das metas, com especial atenção na transformação do conhecimento em inovações que tragam benefícios à sociedade. “Com essa nova orientação, percebe-se que o INCT/Café deve ir além da atuação na pesquisa, mas preocupar-se também com a difusão das tecnologias e a transferência do conhecimento gerado. Percebe-se ainda uma ênfase em mecanismos de articulação em rede e inovação”, destaca o coordenador.

Fonte: Polo de Excelência do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *