IMA realiza mais uma capacitação de agrônomos para emissão de certificados fitossanitários

Imprimir
O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) realizou, por mais um ano, curso que capacita engenheiros agrônomos de todo o país a emitirem o Certificado Fitossanitário de Origem (CFO) e o Certificado Fitossanitário de Origem Consolidado (CFOC). A 87ª edição do curso aconteceu entre 18 e 21 de junho, na Superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em Belo Horizonte, contando com 60 inscritos.

Os certificados fitossanitários, que são documentos obrigatórios, atestam a sanidade dos produtos agrícolas e funcionam como meio de prevenção à disseminação de pragas. Isso porque são pré-requisito para a emissão da Permissão de Trânsito Vegetal (PTV), guia oficial que permite o trânsito de vegetais sadios entre os municípios mineiros e para outros estados.

Leonardo do Carmo, engenheiro agrônomo e fiscal agropecuário da Gerência de Defesa Vegetal do IMA, atenta para a relevância do curso.“Os participantes são capacitados a atestarem a sanidade dos produtos, permitindo que a comercialização aconteça sem restrições fitossanitárias para outros estados e para o mercado internacional”. O servidor do IMA também ressalta que é a oportunidade para profissionais que atuam fora do setor público. “O curso abre novas oportunidades de mercado, com uma opção a mais de trabalho”.
Confira depoimentos de alguns participantes:

“Achei o curso na internet e foi uma oportunidade perfeita, pois faz tempo que estou atrás dessa capacitação. É fundamental para quem trabalha na nossa área, porque antes eu precisava pagar para que um terceiro fizesse a emissão e agora eu mesmo poderei realizar o serviço. Gostei da experiência que o curso proporcionou, atingiu minhas expectativas” – Guilherme Joaquim Maziere – Paranapuã/SP .

“Sempre tive a intenção de fazer o curso, mas não estava conseguindo conciliar com meu trabalho. Na primeira chance que tive aproveitei e foi uma excelente escolha, pois minha região, que fica próxima a Belo Vale, tem muitos produtores de citros, principalmente mexerica e ponkan. Agrega muito no currículo e vai ser muito importante para mim, pois agora posso ajudar os produtores de lá” – Maria Luiza Silva Campos –Moeda/MG.

“A dinâmica dos colaboradores é excelente e o curso é muito bom. Há muito tempo queria me inscrever, porque a demanda de viveiros na minha região é grande e só podemos emitir CFO com esse curso. Também tem a questão econômica, é claro, além do conhecimento adquirido e das amizades feitas” – João Arthur Nora Emerick –Martins Soares/MG.

“Não podemos parar no tempo. Formei na UFMG em 2017 e me inscrevi quando um amigo, que trabalha no IMA de Curvelo, me indicou o curso. A experiência é bacana e importante demais para mim, pois na minha cidade só há uma pessoa que atua nessa função da Certificação Fitossanitária de Origem. É uma área que está crescendo muito na questão de fruticultura, tanto no cultivo de mangas, quanto de mamão, laranja e citros. O curso é amplo e gostei da dinâmica dos professores. São oito horas diárias que valem a pena tanto profissional quanto economicamente” – Felipe Mariz Barbosa – Curvelo/MG .

Fonte: SEAPA – Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *