IBGE prevê safra 2016 em 49,7 milhões de sacas

Imprimir

Após dois anos consecutivos de problemas climáticos nas principais Unidades da Federação produtoras de café, clima excessivamente seco e quente em 2014 para São Paulo e Sul de Minas e, em 2015, pelas estiagens no Espírito Santo e no Cerrado Mineiro, a produção de café do País deve recuperar-se em parte e fechar 2016 com crescimento de 12,5% frente ao ano anterior. Ao todo, o País deve colher uma safra de 2.984.433 toneladas, ou 49,7 milhões de sacas de 60 kg.

A estimativa da produção para 2016, neste primeiro prognóstico do café arábica, realizado em dezembro de 2015, alcançou 2.300.186 toneladas, ou 38,3 milhões de sacas de 60 kg, aumento de 15,6% em relação a 2015, com destaque para o rendimento médio, que apresenta crescimento de 12,5%.

Em Minas Gerais, principal produtor, o crescimento da produção alcança 21,4% e deve chegar a 1.609.256 toneladas em 2016. Em São Paulo e no Espírito Santo, o crescimento da produção em 2016 deve alcançar 6,9% e 21,2%, respectivamente.

Para o café canephora, a estimativa da produção para 2016 alcança 684.247 toneladas, ou 11,4 milhões de sacas de 60 kg, aumento de 3,3% em relação a 2015. A estimativa da área plantada apresenta queda de 15,7%, enquanto o rendimento médio aumenta em 6,7%.

A recuperação da produção é mais forte no Espírito Santo, principal produtor desse tipo de café, que em 2015 sofreu com estiagens. Apesar da queda de 19,0% na área plantada, o rendimento médio deve aumentar 12,6%, alcançando 1.747 kg/ha.

Esta é a primeira estimativa de produção de café do País para 2016, sendo realizada em função das avaliações do nível de cargas da floração e dos “chumbinhos” das lavouras nos diversos municípios produtores. Os levantamentos são realizados municipalmente, principalmente, através das reuniões das Comissões de Estatísticas Agropecuárias, com a participação de técnicos, representantes dos produtores, cooperativas e Órgãos ligados à agropecuária dos estados. 

 

Fonte: IBGE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *