IAC é homenageado pelo Cecafé por contribuição da pesquisa paulista ao desenvolvimento do café

Imprimir

Secretário Arnaldo Jardim e diretor do IAC Sérgio Augusto Morais Carbonell recebem prêmio em reconhecimento à pesquisa paulista (Foto: João Luiz)

O Instituto Agronômico (IAC) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, foi homenageado nessa quinta-feira (8/6), pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), em reconhecimento à contribuição da pesquisa paulista ao desenvolvimento do café de maior qualidade que atualmente atende ao mercado nacional e internacional. O troféu foi entregue ao secretário Arnaldo Jardim, que representou o governador Geraldo Alckmin, e ao diretor do IAC, Sérgio Augusto Morais Carbonell, durante o 7º Coffee Dinner & Coffee Summit, em São Paulo.

Lembrando que a história de São Paulo se confunde com a do café, que abriu fronteiras, desenvolveu a ferrovia, tornou complexa a cadeia produtiva e promoveu a geração de renda, o secretário Arnaldo Jardim ressaltou a preocupação do poder público e dos empreendedores em pensar no futuro do segmento. “Essa visão passa pela migração da produção em quantidade para a de qualidade, com a identificação de origem, caracterização de procedência, sustentabilidade e a busca permanente pela inovação, por meio dos institutos de pesquisa”, afirmou.

De acordo com o titular da Pasta, apesar da redução de área de 4,6 para 2,2 milhões de hectares ocupados pela cultura no País, foi possível um aumento de 60% da produção demonstra a excelência da pesquisa reconhecida na premiação do Cecafé. “A pesquisa busca ampliar a produtividade, com novas cultivares e variedades que nos levarão ao futuro”, finalizou.

O presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes, ressaltou a fase moderna da cafeicultura brasileira, especialmente pela integração entre os agentes da cadeia produtiva, como a pesquisa, indústria, comercialização, logística até chegar ao consumidor. “O café brasileiro é produzido em regiões com climas distintos, proporcionando um diversificado leque de aromas e sabores para todo o mundo. Nossa cafeicultura é a mais desenvolvida tecnológica e sustentavelmente, com investimentos em pesquisa e desenvolvimento para capacitar os produtores com boas práticas agrícolas e ferramentas para superar os desafios”, afirmou.

Carvalhaes lembrou a posição de destaque do Brasil no comércio internacional, detendo um terço da exportação mundial de café a 129 países de todos os continentes. “Nos anos 70, a produção era de seis sacas por hectare; hoje em dia são produzidas 25 sacas por hectare. Ou seja, um aumento de 66,4% de produtividade do café”, informou. A expectativa da entidade é que a exportação brasileira chegue a quatro milhões de sacas por mês.

O diretor do IAC, Sergio Augusto Morais Carbonell comemorou o prêmio, que representa o trabalho e a dedicação do servidor público na pesquisa, para trazer bons produtos, processos e tecnologias. “O café se torna símbolo principal dessa história de 130 anos do Instituto, criado pelo Imperador Dom Pedro II para resolver problemas no cultivo do grão. Posteriormente, a instituição trabalhou com outras cem culturas, como arroz, feijão, cana e trigo, produzindo mais de mil cultivares no mercado, mas foi com o café que ultrapassou fronteiras, o que se traduz atualmente no sucesso da produção brasileira em todo o mundo”, pontuou.

Na ocasião, foram entregues também os seguintes prêmios pelo presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes e o diretor Marcos Antonio Matos:

– Destaque Exportador: Cooxupé (Carlos Paulino, presidente)

– Destaque Solúvel: Cia Cacique – (Pedro Guimarães Fernandes)

– Destaque T&M: 3Corações. (Pedro Lima)

– Destaque Investimentos no Brasil e Exportação de T&M: JDE (Lara Brans, Presidente)

– Destaque Produção: Francisco Sérgio de Assis (o próprio)

– Destaque Jornalístico: Jornal “Valor Econômico” (Vera Brandimarte, Diretora de Redação)

– Inovação: Embrapa (Maurício Lopes, Presidente)

– Pesquisa: Incaper/ES (Marcelo Suzart, Presidente)

– Empresa Amiga do Café: Rede Globo (Editor-Chefe do programa Globo Rural, Humberto Pereira)

– João Antonio Lian – ex-presidente do Conselho Deliberativo do Cecafé

– Guilherme Braga Abreu Pires Filho – ex-diretor geral do Cecafé

Parcerias
O reconhecimento do papel fundamental da pesquisa paulista para a cafeicultura tem proporcionado importantes parcerias para a transferência de tecnologias a outros Estados.

O secretário de Estado de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca de Rondônia (SEAG), Octaciano Neto, enalteceu a parceria firmada com o governador Geraldo Alckmin para cooperação técnica entre o IAC e o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).“Ambas instituições têm dado uma grande contribuição à cafeicultura brasileira e a sinergia dos dois institutos só fortalece o setor, porque une experiências de dezenas de pesquisadores o que a médio prazo trará resultados aos nossos produtores rurais. Já estamos operacionalizando essa parceria”, afirmou o titular da Pasta capixaba.

Segundo maior produtor de café conilon do País, o Estado de Rondônia quer ampliar sua produtividade com tecnologia, e sustentabilidade. “Rondônia entrou no cenário nacional como grande produtor de conilon de qualidade e estamos construindo, com o governo paulista, um protocolo de intenções para cooperação técnica. Faremos um intercâmbio de tecnologia das cadeias produtivas do café, milho, soja e cana-de açúcar. Temos muito o que interagir, inclusive na área de piscicultura”, afirmou o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária (Seagri) de Rondônia, Evandro Padovani.

O evento contou ainda com a participação do deputado federal Silas Brasileiro, presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária; do deputado Evair de Melo; Amarildo Kalil, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), representando o secretário Pedro Leitão; do cônsul geral da Holanda Cor Van Honk; do secretário executivo das Câmaras Setoriais da Secretaria, Alberto Amorim; do presidente da Câmara Setorial do Café, Eduardo Carvalhaes, do titular da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), João Brunelli Junior; do diretor do Instituto de Economia Agrícola (IEA), Celso Luis Rodrigues Vegro; do vice-presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Franscisco Maturro; do diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), Nathan Herszkowicz.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (Por Paloma Minke com foto de João Luiz)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *