Guatemala deve ter embarques de café estáveis em 2012/13

Imprimir

A Guatemala, segundo maior produtor de café da América Central, estima que as exportações de café em 2012/13 devem permanecer estáveis ante o ciclo anterior de 3,6 milhões de sacas de 60 kg, disse a associação nacional de café (Anacafe) na noite de terça-feira.

Cerca de 40 por cento dos 680 mil acres (274 mil hectares) de cafezais da Guatemala sofreram com um surto de ferrugem no ciclo 2011/12.

A doença, uma das mais devastadoras para o café no mundo, ataca as folhas do café e reduz a produtividade dos grãos.

"A ferrugem continua a ser um problema", disse o presidente da Anacafe, Ricardo Villanueva, à Reuters, prevendo que as exportações devem ficar estáveis no próximo ciclo.

Contudo, outros participantes não veem o fungo afetando o número total das exportações.

"De modo geral, a safra permanece estável com novos pequenos produtores plantando em Huehuetenango e Oriente chegando, o que compensa a redução na produção em áreas tradicionais", disse Thomas Nottebohm, presidente da exportadora de café da Guatemala Transcafe.

Os números finais para a exportação da Guatemala em 2011/12 devem sair na sexta-feira. Nos primeiros 11 meses deste ciclo, o país embarcou 3,39 milhões de sacas, aumento de 1,7 por cento, comparado com o mesmo período do ano anterior.

HONDURAS

As exportações de café de Honduras cresceram mais de 420 por cento em setembro, comparado com o mesmo período do ano passado, para 207.538 sacas de 60 kg, disse o instituto de café do país.

As exportações totais em 2011/12, ciclo encerrado em 30 de setembro, subiram 41,7 por cento, para 5,48 milhões de sacas de 60 kg, contra 3,87 milhões de sacas de 2010/11, apontou o instituto.

"As exportações de setembro são explicadas pela grande colheita: grandes produtividades, plantio feito na esteira dos altos preços do café nos últimos anos, que agora começaram a produzir", disse Danilo Zavala, diretor do conselho do IHCAFE.

Honduras, que superou a Guatemala recentemente como principal produtor da região, cortou sua estimativa de produção em 2012/13 em 2 por cento, para 5,98 milhões de sacas, depois do surto de ferrugem que afetou aproximadamente 10 por cento dos cafezais.

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *