Grupo internacional vive Experiência na Origem na Região do Cerrado Mineiro

Imprimir

A Semana Internacional do Café não terminou no dia 26 de setembro, pelo menos não para a Região do Cerrado Mineiro que recebeu, no dia 28, um grupo internacional que viveu uma “Experiência na Origem”. Neal Evan Wilson – Wilson s Coffee & Tea (Estados Unidos), Amy Ball – World Coffee Events (Estados Unidos), Asli Yaman – Soyuz Coffee Roasting e SCAE (Turquia) e Michael Anthony Salvatore – Heritage Bicycles (Estados Unidos) acompanhados de representantes do Sebrae e da Federação dos Cafeicultores do Cerrado passaram dois dias conhecendo melhor a organização da Região, os cafés, as fazendas e seus produtores.

A primeira visita foi à Federação dos Cafeicultores do Cerrado, entidade que controla, promove e representa a Denominação de Origem Região do Cerrado Mineiro. Em seguida eles foram recebidos na Expocaccer – Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado que preparou uma mesa de cupping que apresentou as características dos cafés da Região e impressionou o grupo. Além disso, eles puderam degustar um autêntico Cerrado Mineiro DOC na Cafeteria Dulcerrado.

Neal Wilson enalteceu a evolução da organização da Região em relação a sua primeira visita ao Brasil. “Em minha primeira viagem ao Brasil, a Denominação de Origem ainda não havia sido conquistada e o sistema de rastreabilidade estava em construção. Como foi bom ver a evolução disso tudo! Digo que este sistema é único, e configura-se como uma forma do país se estabelecer na vanguarda da tecnologia aplicada ao café” – afirmou ele.

A Fazenda Dona Nenem do produtor Eduardo Pinheiro Campos, em Presidente Olegário foi o destino do segundo dia. Manejo da lavoura, variedades, produtividade, características do solo, relevo e altitude despertaram a atenção do grupo na visita aos cafezais. Eles também conheceram todo o processo de benefício e rebenefício que passam os grãos. A mesa de cupping foi mais uma surpresa, cafés das mesmas variedades submetidos a diferentes processos que resultaram em bebidas únicas e com altas pontuações chamaram a atenção e surpreenderam e agradaram os provadores.

Para a torrefadora Asli a parceria está apenas começando. “Foi minha primeira vez no Brasil e não esperava encontrar fazendas tão organizadas, fiquei muito surpresa em encontrar cafés de altíssima qualidade na região. Espero continuar trabalhando em construir um forte relacionamento de nossos países e ser uma das primeiras pessoas em trazer essa qualidade top de vocês para nossos mercados em desenvolvimento”- afirmou ela.

A visita teve total apoio do SEBRAE e da Café Editora. “A Experiência na Origem realizada com participantes dos Estados Unidos e Turquia proporcionou uma imersão na Região do Cerrado Mineiro. Ações desta natureza vão muito além de conhecer bons cafés. Contribuem para que torrefadores, cafeterias e baristas conheçam a origem do café, bem como sua forma de produção, tudo isto atrelado à história de cada produtor” – explicou Claudio Wagner de Castro, Analista de Agronegócio do Sebrae Minas.

Ascom Federação dos Cafeicultores do Cerrado
Sônia Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *