Governo nacional e cafeicultores avaliam futuro do café colombiano

Imprimir
A importância do Fundo de Estabilização do Preço do Café e sua regulamentação, bem como uma ampla agenda cafeeira para os próximos 10 anos, foram avaliadas no dia 24 de julho, na Casa de Nariño, durante reunião do Comitê Diretivo da Federação Nacional de Cafeicultores (Fedecafé) e representantes do Governo Nacional.

Na reunião, que contou com a presença do presidente Iván Duque, foi avaliado o status atual e futuro da indústria cafeeira colombiana, com o objetivo de melhorar as vendas para os mercados internacionais e as condições internas de produção.

Nesse sentido, o ministro da Agricultura, Andrés Valencia, ressaltou que a proposta do Governo Nacional busca aumentar as exportações, o consumo e a produtividade do setor cafeeiro em 10 anos.

Segundo ele, o presidente propôs aos cafeicultores um ‘Plano 20-30’, com o intuito de aumentar as exportações de cafés especiais colombianos, bem como o consumo de grãos. Outro ponto analisado, segundo o ministro Valencia, “tem a ver com o aumento da produtividade e a solução dos gargalos que hoje existem em termos de custos de cobrança”.

Quanto ao Fundo de Estabilização do Preço do Café, o titular da carteira ressaltou que “o Ministério da Agricultura, juntamente com o Ministério da Fazenda, está finalizando esse regulamento. Deve estar pronto em dois meses”.

Ele lembrou que este ano o governo nacional contribuiu com cerca de US$ 2,5 bilhões para promover o consumo de café colombiano. “Continuaremos apoiando, já que temos recursos suficientes para aumentar o consumo de café colombiano”, disse.

Por sua vez, o gerente da Federação Nacional dos Cafeicultores (FNC), Roberto Vélez Vallejo, descreveu a reunião como “franca e proveitosa”. “Eles estão satisfeitos com uma ideia do governo nacional de lançar uma grande agenda de café por 10 anos, começando em 2020 até 2030″, afirmou.

Ele acrescentou que na reunião foi estabelecida uma agenda futura “para começar a trabalhar estruturalmente em uma fazenda de café diferente, voltada para o segmento de cafés especiais”, também “que a questão da produtividade seja fortalecida, mas também com foco em aumento do consumo nacional e uma série de elementos para que o setor cafeeiro seja entronado e pronto para os próximos 100 anos”.

Finalmente, Vélez Vallejo destacou que o Presidente Duque lançou o Fundo de Estabilização do Preço do Café, cumprindo “sua promessa de campanha”, o que significa que o setor terá “uma ferramenta que o ajuda, de alguma forma, a amortecer preços para quando os preços estão abaixo dos níveis críticos”.

As informações são da Federação Nacional de Cafeicultores da Colômbia / Tradução Juliana Santin
Por CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *