Governo mantém IPI zero para caminhões e tratores até fim do ano

Imprimir

 IPI seguirá menor para picapes, caminhonetes e máquinas para produção. Todas medidas resultarão em uma renúncia de R$ 775 mi pelo governo.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quarta-feira (16) que o governo manterá o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) zerado para caminhões e tratores até o fim deste ano. Sem a medida, o IPI subiria para 5% a partir do início de julho. Segundo o ministro Mantega, o governo deixará de arrecadar R$ 280 milhões até o fim do ano com essa medida.

"Vamos prorrogar a desoneração de caminhões e tratores, que venceria em 30 de junho, para 31 de dezembro. Continuarão com alíquota zero de IPI até o final deste ano. O objetivo da medida é manter o estímulo para um setor que começou a se recuperar tardiamente no Brasil. A venda de caminhões e tratores só deslanchou no fim do ano pasasdo, quando criamos o PSI [programa de empréstimos do BNDES com juros mais baixos]", disse Mantega.

De acordo com o ministro, as caminhonetes e picapes, que também são utilizados na produção, permanecerão com uma alíquota do IPI de 4% até o fim deste ano. Sem a medida, o IPI subiria para entre 8% e 10% a partir de julho. "Vamos manter as atuais alíquotas do IPI de 4% até 31 de dezembro", disse ele, acrescentando que o custo da medida para o governo será de R$ 105 milhões.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Miguel Jorge, afirmou que também será mantida em zero a alíquota do IPI, que terminaria no fim deste mês, para a compra de bens de capital (máquinas e equipamentos para produção) pelas empresas. "Vale para todos os bens de capital, e também para outros itens, como silos para armazenagem", afirmou ele. Segundo o ministro, a medida custará outros R$ 390 milhões ao governo.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *