Governo de Minas Gerais se reúne com agricultores para discutir enfrentamento à seca

Imprimir

O governador Alberto Pinto Coelho se reuniu, na segunda-feira (28/04), no Palácio Tiradentes, com representantes do setor da agricultura em Minas Gerais para traçar medidas para conter os prejuízos causados pelo longo período de estiagem em todo o Estado. Durante o encontro, foram feitos encaminhamentos com relação a uma possível prorrogação do prazo para pagamento de empréstimo dos agricultores atingidos pela seca junto ao Banco do Brasil, o estudo para criação de uma linha de crédito específica pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), além do apoio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG) para agilizar, junto aos municípios, o andamento dos decretos de situação de emergência.

Também foram discutidas questões como o pedido para que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) forneça milho a preços mais competitivos para os municípios mineiros atingidos pela seca, além do pedido de que o governo federal trate, de forma diferenciada, o café de montanha de Minas Gerais, como já é feito com outras culturas agrícolas. De acordo com Boletim da Defesa Civil do Estado (Cedec), somente neste ano, 85 municípios decretaram situação de emergência em virtude da estiagem no Estado. Dentre os atingidos destacam-se municípios do Norte de Minas, Vale do Jequitinhonha e do Sul do Estado.

Participaram do encontro com o governador o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, André Merlo; o presidente da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Antônio Carlos Arantes; o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Matheus Cotta; o chefe do Gabinete Militar do Governador e coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Alex Melo; o presidente da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg), Roberto Simões; o gerente de Mercadoda Superintendência do Banco do Brasil em Minas Gerais, Carlos Geovane Queiroz, o superintendente de Política e Economia Agrícola da Seapa, João Ricardo Albanez, e o conselheiro do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), Ivan Lemos.

Minas e o agronegócio – Em 2013, Minas registrou um Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio recorde de R$ 147,4 bilhões. O crescimento foi de 4,5% em relação a 2012. O valor representa 12,9% do PIB do agronegócio brasileiro – a maior participação da última década. Em 2003, Minas participava com 9% na composição do PIB do agronegócio nacional.

A estimativa para 2014 é que o agronegócio gere um valor semelhante ao de 2013. Já a estimativa para o PIB do agronegócio brasileiro previsto para 2014 é de R$ 1,13 trilhão.

O Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuário de Minas previsto para 2014 é de R$ 42,2 bilhões. Uma redução de 1,4% em relação a 2013. Esta redução é em função das perdas ocasionadas pela seca, principalmente nas culturas de café, milho, soja e feijão.

Produção agropecuária – Minas possui o segundo maior rebanho bovino do país, com 23,9 milhões de cabeças e é o maior produtor de leite do país, com 8,9 bilhões de litros/ano, o equivalente a 27,7% da produção nacional.

A produção de grãos em Minas na safra 2014 deve atingir 11,3 milhões de toneladas. Já a produção de cana-de-açúcar prevista é de 76,7 milhões de toneladas, sendo destinada ao setor sucroalcooleiro 50,4 milhões de toneladas.

A atual safra mineira de café com 26,6 milhões de sacas representa 53% do volume nacional. O Valor Bruto da Produção de café, em Minas, deve alcançar em 2014 a soma de R$ 9,2 bilhões, cifra 13,6% superior à registrada no ano passado, segundo levantamento realizado em março pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Fonte: Agência Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *