Gel auxilia desenvolvimento inicial de cafeeiro

Imprimir

 

Um produto utilizado no plantio do eucalipto promete ajudar também os cafeicultores do sul de Minas. É um gel que, colocado junto com a muda, auxilia no desenvolvimento inicial da planta.

Um pó bem fino, parecido com açúcar, que misturado à água se transforma em gelatina. Este é o gel de nome difícil, polímero hidroretentor. Ele tem uma grande capacidade de hidratação.
O gel não é nenhuma novidade no mercado. É utilizado há vários anos por plantadores de eucalipto. O que os pesquisadores da Universidade Federal da Lavras querem é provar a eficácia do produto também nas lavouras de café.

O gel é jogado na cova e misturado à terra antes de receber a muda. Segundo os pesquisadores, os efeitos são positivos. “A planta não tem sede, não passa falta e vai ter seu crescimento normal, vai ter menos morte e a gente espera que também tenha maior produção”, disse o professor de cafeicultura Rubens Guimarães.

O engenheiro agrônomo Leonardo Pieve faz experiências há um ano e dois meses. O gel no plantio de café é tema da dissertação de mestrado dele. “O objetivo aqui desta área experimental é justamente chegar neste protocolo, o quanto que vai ser diluído na água e o quanto vai ser disponibilizado para a planta”, explicou.

“A gente quer ter uma base científica para poder recomendar isso para os produtores e técnicos aqui da região”, disse Ronaldo de Medeiros, gerente da fazenda experimental.

A fazenda experimental da Epamig em Três Pontas também testou o produto em dois mil pés de café. As plantas estão hoje com um ano e cinco meses. O crescimento e o baixo percentual de replantio surpreenderam. “Existe replantio até de 10%, mas aqui no caso não chegou nem a 2%”.

Gabriela Piedade renovou a lavoura recentemente. Plantou 22 mil mudas com o uso do gel. “Conversando com alguns produtores aqui da região que utilizaram o gel e estavam satisfeitos com o resultado, eu resolvi utilizar. O custo aproximadamente saiu a R$ 0,6 por muda, é um custo relativamente baixo, dependendo do número de mudas que vai plantar, e o resultado com o replantio, se minimizar no futuro, vai cobrir o gasto que tive”, contou a agricultora.

No sul de Minas, 25 agricultores já estão utilizando esse gel no plantio das lavouras de café.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *