Fundação Procafé orienta sobre ajuste de rendimento em cafés colhidos em diferentes estágios de maturação

Imprimir
A colheita do café no Brasil é, predominantemente, feita por derriça, retirando os frutos dos ramos de uma só vez. Nessa condição, sempre existem frutos em diferentes estágios de maturação, que, após colhidos, constituem o chamado “café da roça”.

Os frutos colhidos são secos e beneficiados, dando origem aos grãos que, depois, vão ser industrializados. Normalmente, estima-se que cerca de 480-500 l de café da roça (ou 8 medidas de 60 l) rendam uma saca, de 60kg, de grãos. O rendimento, ou seja, a quantidade de grãos resultantes do café colhido, pode variar bastante conforme o estágio de maturação dos frutos.

Foi realizado um estudo para determinar índices mais precisos, para avaliação do rendimento do café da roça colhido, conforme sua composição de frutos (estágios de maturação). Foi feito em Varginha, na safra de 2019, usando cafés da variedade catuai. Dos frutos colhidos, de uma amostra de 10 litros, em 4 estágios, sendo – 1- maduros ou cerejas, 2- verdes, 3- passas e 4- secos. Desses frutos, de cada estágio, forma tomados 2 litros e determinado o peso, logo sendo levados pra secagem, depois determinando-se o peso seco. Após o beneficiamento foi determinado o peso de grãos resultantes de cada estágio, todos corrigidos para umidade de 11,5%. Com bases nesses dados foram calculados índices de avaliação para determinar rendimento de litragem necessária para compor uma saca de café beneficiado de 60 kg..

Os resultados das avaliações (volume e peso) estão colocados na tabela 1. Verifica-se que frutos de estágios de maturação diferentes rendem, em peso seco e em grãos beneficados, também resultados diferenciados. A ordem observada com maior rendimento foi a seguinte – frutos secos no pé, frutos passa, frutos verdes e frutos cereja, obviamentre por possuírem mais água ou mucilagem.

No rendimento calculado para compor uma saca de café beneficiado, de 60 kg, os volumes necessários ficaram em – 326 litros para os frutos secos do pé, 442 litros para os passa, 493 litros com os verdes e 604 litros para os frutos cereja.

A partir desse rendimento encontrado, foram determinados índices de correção para ajuste, conforme o percentual estimado/determinado de cada estágio de frutos presente no café colhido, em determinado momento, ou seja sobre o percentual de cada tipo de fruto presente no “café da roça”. Esses índices foram obtidos para ajuste para um rendimento de 500 litros por saca. Eles foram obtidos mediante a divisão da litragem encontrada para cada tipo de frutos por 500, chegando-se em 0,65 para frutos secos, 0,88 para passas, 1,00 para os verdes e 1,21 para os cerejas . Assim, se um determinado café colhido possuir, por exemplo, 40% de frutos maduros, 20% de verdes, 20% de passas e 20% de secos teríamos 40×1,21 + 20×1,00 +20×0,8 + 20×0,65 seria igual a cerca de 97% isto sobre 500 litros, nesse caso daria o equivalente a uma necessidade de 485 litros para uma saca. Estes índices, logicamente, podem variar, ligeiramente entre as variedades e possíveis pequenos diferenciais em relação ao tamanho de frutos e maior presença de chochos.

Conclui-se que –para determinação do rendimento do café colhido é necessário observar os estágios de maturação dos diferentes tipos de frutos colhidos. Um ajuste estimativo, mais preciso, pode ser feito pela tomada de amostras nos cafés colhidos determinando-se índices específicos para aquela situação, ou, aproximadamente, usar os índices aqui calculados.

Tabela 1 – Volume e peso, inicial, coco-seco e de grãos beneficiados e cálculo de litros por saca
em diferentes estágios de maturação de frutos de café – Varginha-MG, 2019.

Fonte: Procafé (Por J.B. Matiello e Lucas Bartelega- Engs Agrs Fundação Procafé e Bruno M. Meneguci – Eng Agr Estagiário Fundação Procafé)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *