Função neuroprotectora do café previne Parkinson

Imprimir

Uma investigação, liderada por um grupo de investigadores norte americanos, concluiu que a cafeína tem um impacto benéfico na prevenção da Doença de Parkinson, avança comunicado de imprensa.

O estudo apurou que o consumo de cafeína, anterior e posterior ao processo neurodegenerativo, controla a degeneração dos neurónios do sistema nigroestriatal – produtor de dopamina, substância que tem como função a actividade estimulante do sistema motor. Estes resultados vêm reforçar a função neuroprotectora do café.

“Nos dias que correm, prevenir é a palavra de ordem. Apesar de existirem muitas doenças sem tratamento eficaz, algumas podem ser evitadas se nos regermos por hábitos de vida saudáveis. Beber 3 a 4 cafés por dia é um deles. Tal como foi aferido neste estudo, também para a Doença de Parkinson a cafeína assume um papel preventivo, tornando-se assim um aliado no combate à doença”, afirma o Prof. Rodrigo Cunha, Professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

A Doença de Parkinson é uma patologia de evolução lenta e progressiva, que afecta particularmente a população mais idosa (tem uma maior prevalência a partir dos 55 anos de idade), na qual se perdem os mensageiros químicos produzidos no cérebro que são responsáveis pelo controlo de movimentos como: andar, falar, vestir ou escrever. Daí ser considerada uma das "doenças do movimento".

Dados dos últimos Censos confirmam que Portugal sofreu um grande aumento da população sénior: 19% dos portugueses (um quinto da população nacional) pertence ao grupo dos mais idosos, com 65 ou mais anos de idade; por cada 100 jovens há hoje 129 idosos; nos últimos 30 anos Portugal perdeu cerca de um milhão de jovens, entre os zero e os 14 anos, e ganhou cerca de 900 mil idosos.

Em 2012 assinala-se o Ano Europeu do Envelhecimento Activo e, quando confrontados com estes dados, o Dia Mundial do Doente de Parkinson, celebrado a 11 de Abril, ganha especial relevância. De acordo com a Associação Portuguesa de Parkinson, estima-se que existam entre 20 a 30 mil doentes de Parkinson em Portugal, mas o número pode ser muito superior, uma vez que não há um registo oficial de doentes.

Fonte: RCM Pharma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *