Ficafé 2016 promove degustação de cafés especiais do Norte Pioneiro

Imprimir

Um grupo de aproximadamente 25 pessoas, de estudantes e professores até produtores e exportadores de café, participou, na manhã desta quinta-feira, dia 27, de uma degustação comentada de café especial durante a Feira Internacional de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (Ficafé 2016). As degustações são realizadas pela equipe do Projeto 100% Qualidade do Sebrae/PR e parceiros e ocorrem durante os três dias de feira – uma no período da manhã, voltada ao público leigo, e outra à tarde, especificamente para compradores dos grãos. A Ficafé, que é realizada no Centro de Eventos de Jacarezinho, vai até esta sexta, dia 28.

O extensionista da Emater, classificador e degustador de café, Osvaldo Martins Rodrigues, explicou que, na degustação para o público leigo, os participantes têm contato e experimentam apenas uma amostra de café especial, produzido no Norte Pioneiro, para facilitar os comentários. Porém, ele ressaltou que todos os cafés degustados durante a feira participam do “IV Concurso de Qualidades dos Sabores do Norte Pioneiro”, cujo resultado será divulgado no último dia do evento. “São cafés acima de 84 pontos”, destacou.

Primeiro, os participantes conhecem o café antes da infusão e são incentivados a sentir a fragrância do grão torrado e moído. Neste momento, já aprendem um pouco sobre algumas características específicas – como doçura e acidez, por exemplo. Depois, fazem a infusão, ou seja, adicionam a água, e são estimulados a perceberem o aroma da bebida. “É aquilo que a gente faz no dia a dia quando vamos tomar o nosso cafezinho”, comparou Rodrigues.

Em seguida, os provadores iniciantes são orientados a esperar a temperatura ideal para provar o café. Para isso, cada um recebe uma pequena colher. “E é aí que eles vão provar e degustar efetivamente. Neste momento, vamos falando para eles quais são os sabores diferenciados daquele tipo de café. Procuramos escolher um com características fáceis de serem identificadas”, contou.

A professora do Instituto Federal de Jacarezinho, Elaine Fernandes, participou da degustação, apesar de não gostar e nem ser consumidora de café. “Achei muito interessante, porque consegui perceber todos os sabores de um café de qualidade. E, na verdade, achei muito gostoso”, confessou. Já o auxiliar de produção, que trabalha com torrefação de cafés, Pablo Raphael Cerino, disse que, de vez em quando faz provas cegas de cafés e que, como já conhece um pouco dos especiais, conseguiu identificar bem o aroma e sabores destacados durante a degustação.

O estudante do curso técnico em agropecuária do Centro Estadual de Educação Profissional de Arapoti (CEEP), Vinícius de Almeida Ávila, contou que veio pela primeira vez para a Ficafé e que aprendeu, durante a degustação, que existem muitos requisitos a serem cumpridos pelos produtores para conseguir fazer com que um café de qualidade chegue até o consumidor final. “Eu não tinha essa noção de ácido ou amargo, por exemplo. Quando ele começou a falar eu pensei: ‘Nossa, ele está sentindo a mesma coisa que eu!’”, afirmou.

Degustação para compradores
As degustações voltadas para compradores – especialmente donos de cafeterias – são profissionais e realizadas sempre no período da tarde. Durante a Ficafé 2016, os interessados na compra vão experimentar as 18 amostras dos cafés participantes do concurso e que, depois, terão os lotes leiloados. Para eles, o formato da degustação é diferente e não tem intervenção ou comentários de especialistas. Cada provador experimenta cinco xícaras de café por vez e pode anotar suas percepções em uma ficha da Associação Americana de Cafés Especiais. Os cafés são identificados por códigos e pontuação no concurso.

“As degustações servem como vitrine para a comercialização”, explicou o consultor e gestor do Projeto Cafés Especiais do Sebrae/PR, Odemir Capello. Segundo ele, após provarem os cafés, os compradores interessados em adquirir os lotes poderão colocar seus lances em envelopes, que serão direcionados aos produtores e negociados até o final da feira. O lance mínimo para a compra de uma saca de 30 quilos é de R$ 400.

Realização
A Ficafé 2016 é uma realização do Sebrae/PR, Acenpp, Cocenpp, com apoio da Prefeitura Municipal de Jacarezinho, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Governo do Paraná, Instituto Federal do Paraná (IFPR) campus Jacarezinho, Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná (CREA-PR), Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Syngenta, BUNN, Associação dos Municípios Norte Pioneiro (Amunorpi), Nucoffee, e Associação dos Engenheiros e Agrônomos do Norte Pioneiro (AEANP), Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Vonder e Cocamar. Para conferir a programação completa, acesse www.ficafe.com.br.

Fonte: Assessoria de Imprensa Ficafé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *