Fertirrigar aumenta produtividade do cafeeiro

Imprimir

Mais do que proporcionar a condição ideal para o cafezal expressar todo seu potencial produtivo, a fertirrigação pode ser decisiva em anos de déficit hídrico, principalmente quando este ocorre nas fases críticas da lavoura, como florada, de chumbinho e granação dos frutos.

Resultados obtidos em pesquisas e na prática por produtores que já adotam essa tecnologia mostram que a fertirrigação contribui para aumentar a produtividade do cafeeiro, segundo observa o engenheiro agrícola Márcio Ronaldo Coelho, responsável técnico pela empresa Hidro Sistemas, de Maringá.

Em estudo desenvolvido no sul de Minas Gerais pelo Procafé em parceria com a Netafim em 2008 e 2009, a produtividade da área não irrigada foi de 12,6 e 68 sacas por hectare (média de 40,3 sc/ha) e de 47,7 e 70,9 sacas por hectare na área fertirrigada (59,3 sc/ha), nas respectivas safras, uma diferença de 19 sacas por hectare, cita o engenheiro.

Em São Jorge do Patrocínio, no noroeste do Paraná, a família Spanhol, que tem 83,5 hectares, sendo 16 com café, já comprovou isso na prática ao investir em um sistema de irrigação por gotejamento. "Praticamente todo ano há uma estiagem, mais curta ou mais longa. E quando esta atinge a lavoura no período de florescimento ou de enchimento de grãos, as perdas são grandes", afirma Francisco Spanhol.

O produtor diz que em anos secos é visível a diferença no tamanho dos grãos de café nas áreas irrigadas, em comparação com as lavouras vizinhas, onde os grãos nem se formam direito. Enquanto a média da região tem ficado ao redor de 10 sacas beneficiadas, a produtividade no sítio é cinco vezes maior: saltou de uma média de 30 sacas para 50 sacas por hectare, após o início da irrigação.

Fonte: Flamma Comunicação / CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *