Fapemig aprova recursos para estudos sobre aos efeitos de mudanças climáticas na cafeicultura

Imprimir

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) aprovou a concessão de recursos que irão viabilizar estudos sobre os efeitos de estresses ambientais na produção de mudas de cafeeiro.

Em edital específico para atender à manutenção de equipamentos de custo elevado, a instituição aprovou a realização do serviço de manutenção e revitalização de uma câmara de crescimento de plantas (Fitotron) existente na Universidade Federal de Lavras (Ufla).

A revitalização da câmara, que possibilita desenvolver estudos com controle das condições ambientais de temperatura, umidade e luminosidade, irá permitir realizar pesquisas com objetivos diversos, para atender às indagações sobre os efeitos das alterações climáticas sobre a cafeicultura.

O projeto de manutenção e utilização da câmara de crescimento, liderado pela pesquisadora da Embrapa Café, Sttela Dellyzete Veiga Franco da Rosa, contempla estudos sobre os efeitos do excesso de água no solo e estresse de temperatura sobre a produção de mudas de variedades de Coffea arabica .

Esse projeto será de grande importância para indicar aos produtores que utilizam a irrigação, respostas do cafeeiro ao excesso de água, quanto ao crescimento da planta, trocas gasosas e alterações fisiológicas.

Segundo Sttela, espera-se ao final deste trabalho identificar e caracterizar os efeitos do excesso de água contínuo e intermitente em mudas de diversas variedades de café arábica, assim como as alterações fisiológicas que ocorrem em mudas expostas a estes estresses, enfatizando aos produtores a necessidade de se implantar o manejo adequado da irrigação da cultura do cafeeiro.

O projeto será desenvolvido com a participação de professores dos departamentos de Fitotecnia, Biologia e Fitopatologia da Ufla, alunos de mestrado, doutorado e pós-doutorado daquela universidade, bem como de um pesquisador da Epamig.

O equipamento existente no Setor de Cafeicultura do Departamento de Agricultura da Ufla, objeto do projeto de manutenção e reparos, foi importado do Canadá e é dotado de dispositivos precisos de controle, mas encontra-se sem condições de funcionamento, causando prejuízos às pesquisas em andamento.

Câmaras de crescimento de plantas são muito utilizadas em experimentos nas áreas de fitotecnia, biologia e fisiologia de sementes, mudas e plantas que requerem controle das condições ambientais. Com o conserto da câmara será possível, também, utilizá-la em estudos sobre os efeitos das mudanças climáticas globais, uma das maiores preocupações da comunidade científica nos dias de hoje.

Segundo a pesquisadora, as plantas são as primeiras a sentirem os efeitos e, por isso, um dos mais importantes sensores biológicos dessas mudanças. Ela explica que, por esse motivo, as câmaras de crescimento de plantas são instrumentos fundamentais em investigações científicas por permitirem simulações de uma variedade de condições ambientais de temperatura e umidade, radiação solar e seus efeitos sobre o crescimento de plantas de interesse.

Fonte: Embrapa Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *