Exposição Estadual Agropecuária discute tecnologias para o café

Imprimir

Está sendo realizada até o próximo dia 12, a 36ª Exposição Estadual Agropecuária – GranExpoES 2012, no Centro de Eventos Carapina município da Serra-ES. Considerada a vitrine anual do agronegócio capixaba e consolidada como um ambiente favorável e com grande potencial para realização de negócio, o evento trará muitas discussões tecnológicas e econômicas para a cafeicultura, como o Fórum de Debate, a ser realizado hoje, dia 9, das 10h as 12h30. Na ocasião, serão discutidos especialmente dois temas demandados pelo setor produtivo: a colheita mecânica do café conilon e mercado.

Sobre o primeiro assunto a ser debatido, a colheita mecânica, sabe-se que pesquisa e indústria de máquinas deverão se unir para adaptação do processo ao café conilon. “Temos um excelente aparato tecnológico construído especialmente para o café conilon que transformou e continua a transformar de forma eficiente e sustentável a produção e a qualidade desse café. E o Consórcio Pesquisa Café foi e ainda é um dos protagonistas desse cenário”, explica o pesquisador Romário Gava Ferrão, do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural – Incaper, instituição participante do Consórcio Pesquisa Café, cujo programa de pesquisa é coordenado pela Embrapa Café. Para ter ideia da repercussão das tecnologias desenvolvidas pelo Incaper e parceiros para o café conilon, o pesquisador lembra que a produção quase triplicou de 1993 até hoje, passando a produção de 2 milhões e meio de sacas para 9 milhões e meio e a produtividade de 9 sacas por hectare para 33 sacas por hectare, com aumento pouco expressivo de área, de menos de 10%.

Segundo o pesquisador, a colheita ainda é feita manualmente, o que demanda uma solução rápida na questão de mão-de-obra. “Ano passado, começou-se a fazer os primeiros estudos exploratórios da colheita mecanizada para conilon. Percebeu-se que tanto as pequenas quanto as grandes máquinas não estão totalmente ajustadas para colher os frutos da planta, que tem arquitetura, manejo, espaçamento e grãos bastante diferentes em relação ao café arábica. É quando deverá entrar em ação a pesquisa associada às áreas agronômicas e industrial. A pesquisa agronômica está se organizando para implementar sistema de cultivo e manejo adequados para a mecanização do conilon”, completa. O Fórum de Debates sobre a Cafeicultura vai mostrar os primeiros resultados dos estudos, os problemas e as perspectivas nessa área de conhecimento.

Durante o evento também haverá espaço para a discussão sobre melhoria da qualidade do café a partir da renovação da lavoura do café arábica e melhoria de qualidade do café conilon. Incaper e demais instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café têm procurado mostrar em eventos e demais oportunidades que o conilon tem qualidade, ainda não totalmente conhecida pelos diferentes segmentos da cafeicultura e com potencial muito grande a ser descoberto. O que já se sabe nesse quesito será apresentado ao público”, lembra Romário.

A GranExpoES também vai trazer o Espaço de Tecnologias de Agregação de Valor do Café, das 13h30 às 17h. Nesse espaço, serão demonstradas as tecnologias de pós-colheita, secagem e beneficiamento desenvolvidas pelo Incaper, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig, Universidade Federal de Viçosa – UFV e Embrapa Café, instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café.

Além disso, haverá o momento culinário do café com a realização de treinamento de cinco horas em forma de minicursos para mostrar como preparar café, principais cuidados, utilização de café em produtos como geleia, licores, doces etc, além de demonstração para degustação e compra do chop, cerveja e cachaça feitos à base de café conilon.

Café no ES – O agronegócio do café é uma das atividades mais importantes do Espírito Santo por seu grande peso social e econômico no Estado. Presente em todos os municípios capixabas, exceto Vitória, é a atividade com maior poder de geração de empregos no Estado. A cafeicultura é o sustentáculo econômico de 80% dos municípios e responde por 43% do PIB agrícola capixaba. Toda a cadeia produtiva gera aproximadamente 400 mil postos de trabalho ao ano. Só no setor de produção, envolve 131 mil famílias, com tamanho médio das lavouras em torno de 8,3 hectares. O estado é o único que tem produção significativa das duas espécies – arábica e conilon – com produção anual de cerca de 11 milhões de sacas colhidas em 60 mil propriedades, das quais, mais de 73% são de base familiar. Esses números colocam o Estado como o segundo maior produtor do Brasil. Destaca-se como o maior produtor brasileiro de café conilon e terceiro maior de café arábica.

GranExpoES – A feira, que é o maior evento de exibição, ranqueamento e comercialização de bovinos, ovinos, caprinos, equinos e muares do Estado. É formada por exposições de animais, programação técnico-científica composta por palestras, seminários, simpósios, conferências, workshops, reuniões, encontros e minicursos, além de outros eventos paralelos. Espera-se um público de 120 mil pessoas e os negócios programados nas várias cadeias do agronegócio deverão gerar, segundo o coordenador do evento, Zezinho Boechat, um volume superior a R$ 50 milhões.

Promovida pelo Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), também tem o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-ES), do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras do Estado do Espírito Santo (OCB/ES), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), das prefeituras municipais da Serra, de Vitória e de Vila Velha, da Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (Faes), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Espírito Santo (Senar/ES), e de entidades representativas de produtores, criadores e agricultores familiares do Espírito Santo.

Para mais informações sobre a GranExpoES 2012, acesse:www.granexpoes.com.br .

Sobre o Consórcio – As pesquisas do Consórcio Pesquisa Café contam com o apoio e o financiamento do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira – Funcafé, do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

Fonte: Gerência de Transferência de Tecnologia da Embrapa Café via Rede Social do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *