Exportações de máquinas agrícolas sofrem retração em maio

Imprimir

As exportações de máquinas agrícolas, que tinham apresentado alta em abril, voltaram a recuar no último mês ante maio do ano passado. De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), os embarques totalizaram 1.178 unidades em maio, queda de 29,4% em relação ao mesmo mês de 2011.

No acumulado do ano, as vendas externas somaram 7.382 unidades, aumento de 3,8% sobre os primeiros cinco meses do ano passado. A receita de US$ 250,38 milhões em maio teve queda de 4,8% contra o mesmo mês de 2011.

Milton Rego, diretor da Anfavea, afirma que a redução das vendas para a Argentina foi responsável pelo resultado negativo. Segundo ele, as exportações para o país vizinho foram praticamente nulas no mês passado. “Nos últimos 60 dias, a situação está muito ruim na Argentina”, disse. Ele relata que há restrição de equipamentos e peças. Afirma ainda que os concessionários não têm mais peças originais.

Até abril, algumas empresas conseguiram liberação da Argentina para vender os produtos, muitas com licenças do ano anterior. De acordo com Rego, também foram embarcadas mais máquinas para outros países da América Latina. Neste caso, foram contratos que tiveram grande representatividade no resultado do setor, mas que podem não se repetir nos próximos meses.

A Anfavea considera que a valorização do dólar frente ao real só deverá ter reflexos nas vendas externas de máquinas agrícolas no futuro. Mas Milton Rego ressalta que a perda de competitividade brasileira em relação a outros mercados exportadores só será resolvida com uma taxa de câmbio mais estável em um prazo médio.

No início de maio, a Anfavea até pensou em rever para cima a meta para as exportações este ano, previstas inicialmente para ficarem estáveis ante 2011. Mas agora não deve alterar a expectativa, na avaliação de Milton Rego. Porém, um diagnóstico mais preciso deve ser feito no fim deste mês.

Fonte: Valor Econômico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *