Exportação de café sobe 11,7% em novembro ante mesmo mês de 2013

Imprimir

Nos últimos 11 meses, as exportações tiveram um salto de 28,665 milhões em 2013 para 33,056 milhões de sacas em 2014 (Foto: Marcelo Min/Ed. Globo)

A exportação brasileira de café em novembro apresentou um aumento de 11,7% em comparação com o mesmo mês de 2013. Foram embarcadas 3,015 milhões de sacas de 60 kg (verde, torrado e moído e solúvel), ante 2,699 milhões de sacas em novembro do ano passado. As informações são Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (CeCafé), divulgadas nesta segunda-feira (8/12).

A receita cambial no período cresceu 55,1% (US$ 594,594 milhões em comparação com US$ 383,405 milhões em novembro de 2013). O diretor-geral do CeCafé, Guilherme Braga, comentou em comunicado que os dados praticamente confirmam a expectativa de que o ano-calendário vai se encerrar com o recorde de 36 milhões de sacas exportadas pelo Brasil.

Nos últimos 11 meses, as exportações tiveram um salto de 28,665 milhões em 2013 para 33,056 milhões de sacas em 2014, com destaque para os embarques de conilon. A receita também está dentro do esperado, passando de US$ 4,8 bilhões de janeiro a novembro de 2013 para US$ 5,920 bilhões nos primeiros 11 meses de 2014, ou seja, um aumento de US$ 1,126 bilhão (23,5%). Os embarques de café arábica, no acumulado até novembro de 2014, subiram de 24,198 milhões para 26,925 milhões de sacas e os de conilon de 1,220 milhão para 2,984 milhões sacas.

De acordo com o CeCafé, a variedade arábica respondeu por 81,5% das vendas do país no período de janeiro a novembro, o solúvel por 9,4%, o robusta por 9,0% e o torrado e moído por 0,1% das exportações. Os cafés diferenciados (arábica e conilon) tiveram participação de 22,6% nas exportações em termos de volume e de 29% na receita cambial.

O relatório mostra, ainda, que, no acumulado de janeiro a novembro de 2014, a lista de países importadores é liderada pelos Estados Unidos (6.653.404 sacas, ou 20% do total), seguidos pela Alemanha (6.194.830 sacas ou 19%). A Bélgica ocupou a terceira colocação, importando 2.617.005 sacas, ou 8%. No quarto lugar está a Itália, com 2.553.941 sacas, e no quinto lugar, o Japão, com 2.311.819 sacas (7% do total).

Fonte: Estadão Conteúdo via Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *