Exportação de café registra aumento de 55% e bate recorde em 2011

Imprimir

O setor do café não pode reclamar de 2011, ano que serviu para o produtor arrumar a casa. Há décadas, os cafeicultores brasileiros não viam preços tão bons.

A saca do café arábica de boa qualidade esteve acima dos R$ 494 o ano todo, valor que ficou 61% acima da média do ano anterior. Problemas climáticos afetaram a produção de países concorrentes do Brasil, como Colômbia e Vietnã. Com isso os estoques mundiais diminuíram.

No Brasil, o ano foi de safra curta. A colheita foi menor, mas a exportação bateu um recorde histórico de quase US$ 8 bilhões. Houve aumento de 55% em relação a 2010.

A fazenda de cafés especiais em Alfenas, no sul de Minas Gerais, comemora a melhor lucratividade em quarenta anos de existência. Além do ótimo preço, a empresa conquistou novos mercados. “O mercado asiático estava crescendo e se mostrou extremamente lucrativo e de um potencial muito grande para o café brasileiro”, explica Washington Rodrigues, presidente da Fazenda Ipanema.

Um dos termômetros que comprovam que o ano foi bom mesmo para o café está no viveiro na cidade de Botelhos, no sul de Minas, que teve aumento de 50% nas vendas em relação à safra passada. As mudas foram vendidas para cafeicultores como João Piva, que replantou parte da lavoura. Ele também comprou uma lavadora de grãos e construiu uma casa. “Eu posso falar que eu estou no melhor momento da minha vida como cafeicultor”, comemora.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *