Exportação de café no Timor-Leste aumenta nos últimos dois anos

Imprimir

A exportação de café de Timor-Leste aumentou significativamente nos últimos dois anos.

O café é o principal produto exportado por Timor-Leste, com uma estimativa de 16.000 hectares de jardins produtivos e 16.000 hectares adicionais improdutivos.

Cerca de 20.000 famílias de agricultores retiram uma quantidade substancial dos seus rendimentos das pequenas propriedades de café, enquanto outras 15.000 obtêm uma parcela minoritária do rendimento a partir desta fonte.

As receitas situam-se entre os 150 e os 200 quilogramas de grão de café verde por hectare, menos da metade do seu potencial se melhores técnicas de cultivo fossem empregadas.

A maioria das grandes fazendas de café estabelecidas nos tempos coloniais foram abandonadas, e os pés de café são colhidos pelos agricultores nas proximidades.

O café tem sido um dos cinco produtos com maior exportação do país desde a independência, em conjunto com o petróleo bruto, o gás petrolífero, plantas de perfume e arroz.

De acordo com os dados, a exportação de café entre 2009 e 2010 foi de apenas 2%, e entre 2011 e 2012 foi de 5%. Mas a exportação tem aumentado recentemente.

O director do departamento de exportação e importação do Ministério do Comércio e Indústria, Leonardo Guterres de Carvalho, disse que a exportação de café de Timor-Leste aumentou em 2012-2103, subindo dos 5% para os 10%.

Os principais mercados de café para Timor-Leste no exterior, segundo o responsável, são os EUA, a Indonésia, a Alemanha, a Austrália, o Japão e a Nova Zelândia.

Mesmo que Timor-Leste seja um «país de café», a importação é maior do que a exportação.

«A importação de café para Timor-Leste é de 90%», disse Leonardo Guterres de Carvalho.

Um documento do escritório do Ministério da Agricultura mostra que o Governo
Presta muita atenção ao crescimento do sector.

«A visão da indústria do café em Timor-Leste é desenvolver plantações de forma sustentável para que sejam capazes de competir e responder às mudanças nos mercados e à concorrência nacional e internacional, e capazes de contribuir cada vez mais para a economia nacional. A missão é aumentar a qualidade do café em Timor-Leste, capacitar os produtores, contribuir para as receitas de exportação do país e criação de emprego», refere o documento.

Leonardo Guterres de Carvalho disse que o seu Governo está a fazer tudo para aumentar a promoção de café no mercado internacional.

Fonte: PNN Portuguese News Network

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *