Exportação de café capixaba será a menor dos últimos 35 anos, estima Centro do Comércio de Vitória

Imprimir

A exportação de café capixaba deve ser a menor dos últimos 35 anos, segundo estimativa do Centro do Comércio de Café de Vitória. Em 2017, a previsão é de 1,8 milhão de sacas para fora do país.

A produção deste ano é de 9,5 milhões de sacas de café arábica e conilon. Em 2014, por exemplo, o Espírito Santo produziu 15 milhões de sacas. Com menos café e queda na qualidade, diminuem as exportações.

“Acredito que a produção de café abaixo da qualidade está atrelado a dois fatores: a seca e o problema portuário”, ressaltou o presidente do Centro de Comércio de Café de Vitória, Jorge Luiz Nicchio.

O principal fator que explica essa queda é a seca que atingiu o estado nos últimos anos. Ela prejudicou as lavouras dos produtores e, assim, a quantidade de café produzido e comercializado.

O produtor de café André Kroling conta que o cenário com a chuva seria diferente e ele teria produzido a quantidade que buscava para este ano: 450 sacas. Mas, por conta da seca, foram apenas 300 sacas.

“Nós tivemos em torno de 60% de queda da produção do ano passado para este ano. Influência da falta de chuva”, disse.

A propriedade de André fica em Marechal Floriano, Região Serrana do estado. Por lá, a queda da safra no café foi de 80 mil sacas do ano passado para 25 mil este ano. Além da seca, outro fator é a característica natural do café arábica, que em um ano produz mais e outro produz menos.

“Esse ano coincidiu com o ciclo bienal do café, que é natural na cafeicultura. Mas a seca foi o principal ponto, mesmo com as orientação do Incaper”, destacou o técnico do Incaper Ubaldino Saraiva.

Fonte: G1 ES e Jornal do Campo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *