Expocafé 2011 atrai mais de 22 mil visitantes e bate recorde de negócios

Imprimir

O maior evento do agronegócio café no Brasil, Expocafé, realizado pela EPAMIG, entre os dias 14 e 17 de junho, na Fazenda Experimental de Três Pontas recebeu 22.084 participantes (em 2010 o público foi de 12 mil).  Os negócios realizados passaram de R$ 93 milhões na edição anterior para 228 milhões em 2011, o que significa 145% a mais que em 2010. A procura por estandes também cresceu. O setor de comercialização estima que na próxima edição deverá ampliar em 20% o número de estandes.

De acordo com o coordenador da Expocafé, Mairon Mesquita, os eventos que integraram essa edição tiveram retorno positivo dos visitantes. Mairon explica também que a partir de pesquisa feita com os expositores serão traçadas estratégias para a edição 2012. "Diante do crescimento do agronegócio café, é esperada também a expansão da feira", disse. Para a 15ª edição a intenção é disponibilizar um pavilhão de inovação exclusivo para novas tecnologias. De acordo com o coordenador essa demanda surgiu a partir do 1° Encontro de Inovação do Café realizado nesta sexta-feira.

Durante os quatro dias de evento, em 133 estandes os participantes conferiram novidades em máquinas, equipamentos e insumos para a cafeicultura, além de conhecer também artesanato em madeira e palha de café, vestuário em couro, cosméticos de café, cachaças certificadas, licores e bebidas produzidas na região de Três Pontas. Informações técnicas sobre o funcionamento de máquinas foram apresentadas em 21 dinâmicas de campo a 2413 participantes, que também visitaram o cafezal da Fazenda de Três Pontas e conheceram as cultivares de café resultantes de vários anos de pesquisa.

Outra atração foi o curso de classificação e degustação de café, promovido pelo Sebrae-MG, em parceria com o Centro de Excelência do Café (Sebrae/Coccamig). Durante o curso os degustadores analisaram as variações da bebida e entenderam as diferenças físicas e sensoriais de 15 amostras de café.

O visitante Donizete da Silva, cafeicultor em Cristais – MG, participou pela terceira vez do evento. Ele estava em busca de equipamentos para sua propriedade. "Vim apreçar trincha, fornalha de secador e carreta para transportar café na lavoura. O momento é favorável para reestruturar", comemora. Para o sócio da TDI máquinas Abdias Pontes, que participa desde o primeiro ano da Expocafé, os resultados da feira deste ano foram animadores. A empresa vendeu mais de 20 colhedoras de café e teve cerca de R$ 30 milhões em negócios gerados.

De acordo com o coordenador técnico da Expocafé, Gladyston Carvalho o sucesso do evento demonstra o bom momento da cafeicultura e o interesse dos cafeicultores pela tecnificação da atividade cafeeira. "O cafeicultor caminha para a otimização e automação das propriedades que até alguns anos atrás eram consideradas propriedades rurais e agora passam a se tornar empresas rurais", afirma. 

Treinamento e políticas públicas

Pela primeira vez, no evento, foi oferecido treinamento para operadores de máquinas pela empresa Bruden. Os temas apresentados aos 226 participantes do curso foram: manutenção preventiva e corretiva de derriçadores de café, de motores de dois tempos e importância da colheita mecanizada nas lavouras cafeeiras.

Audiência Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, realizada no último dia 16, também integrou a programação da Expocafé 2011. Importância da Pesquisa e da Transferência de Tecnologia e Papel das Cooperativas na Sustentabilidade da Cafeicultura do Sul de Minas foram temas discutidos por pesquisadores, produtores e deputados estaduais, além de autoridades regionais.

Fonte: ASCOM EPAMIG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *