Evair de Melo reivindica preços mais justos aos cafeicultores em manifestação em Linhares (ES)

Imprimir
Nesta segunda-feira (12), o Deputado Federal Evair de Melo participou do protesto realizado pelo Movimento Regional Para Salvar a Cafeicultura no trevo do Rio Quartel na BR-101 em Linhares. A manifestação teve como objetivo reivindicar regras para a exportação, fazer valer os preços mínimos previstos em Lei, cobrar do Governo o uso de estoques estratégicos e planejamento do financiamento ao setor, fomentar o aumento do consumo do café em todo o mundo, além da renegociação das dívidas.

Vice-presidente da Frente Parlamentar do Café, Evair afirma estar “tão indignado quanto os produtores”, ressaltando a luta diária na Câmara Federal para que a dignidade dos cafeicultores seja garantida. “Com o apoio e a presença do parlamento, nós podemos criar um ambiente que possibilite o crescimento do setor. Um passo importante é a renegociação das dívidas dos nossos produtores. Defendo a convocação imediata do Conselho Deliberativo de Política do Café (CDPC) e autorizar a renegociação dos recursos do Funcafé”.

Preocupado com a situação crítica na cafeicultura brasileira, Evair de Melo enviou em abril um pedido à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para que haja a revisão urgente dos preços mínimos do café definidos pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A saca de conilon ficou em R$ 210,13 e a de arábica em R$ 362,53, ambos no período de abril de 2019 a março de 2020.

De acordo com o Centro do Desenvolvimento do Agronegócio do Espírito Santo (Cedagro), o custo total da saca de café conilon pode chegar até R$ 313,00, valor 49% maior que o preço mínimo estabelecido. Já o custo do arábica para o produtor pode chegar até R$ 553,00 a saca, 53% a mais que o valor mínimo da Conab.

Atuação

Evair é autor de dois projetos de lei voltados à cafeicultura no Brasil. O PL 1712/15 barra as importações de café de países que não possuem leis ambientais e trabalhistas tão rígidas quanto às brasileiras. Já o PLC 41/2017, em tramitação no Senado, institui a Política Nacional de Incentivo à Produção de Café de Qualidade, garantindo instrumentos essenciais para o aumento da qualidade dos grãos, como assistência técnica, extensão rural especializada, crédito rural e capacitação.

Fonte: Aqui Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *