Estudantes brasileiros predominam em mestrado internacional sobre café, na Itália

Imprimir
Não é novidade que o Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo, nem que os brasileiros são apaixonados pela bebida. O que vem mudando, com o passar dos anos, é a forma como o país se relaciona com o grão e o produto.

Só essa busca pela qualidade e pela profissionalização já evidenciam o crescente número de brasileiros em um mestrado sobre café, na Itália, que começou no último dia 15 de janeiro.

Para falar sobre a 7ª edição do Mestrado Internacional em Economia e Ciência do Café, o programa da Illy e a seleção dos brasileiros, o locutor da Rádio Nacional da Amazônia, José Nery, conversa com o coordenador da Universidade do Café no Brasil e professor da Universidade de São Paulo (USP), Samuel Giordano.

O curso oferece uma formação multidisciplinar sobre o mundo do café ao englobar todo o ciclo produtivo, desde o seu cultivo até os serviços de alimentação, incluindo a logística e o processo de industrialização.

A Fundação Ernesto Illy, que organiza o mestrado em parceria com renomadas instituições de ensino italianas, confirmou que, dos 27 alunos matriculados, sete são brasileiros (além de um ouvinte), um recorde de todas as edições do curso, que teve início em 2011.

A edição de 2018 terá estudantes de 14 países: Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Etiópia, Guatemala, Honduras, Itália, Quênia, Nicarágua, Peru, Estados Unidos e Iêmen.

Ouça no player abaixo a entrevista completa.

Fonte: EBC (Programa Brasil Rural)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *