Estoques finais privados de café despencaram em um ano, mostra Conab

Imprimir
Os  estoques de passagem privados de café no Brasil somavam  9,866 milhões de sacas de 60 quilos em 31 de março deste ano, 27,4% abaixo das 13,589 milhões de sacas na mesma data de 2016, informou hoje a Conab.

Conforme o levantamento da Conab, do volume total dos  estoques,  8,871 milhões de sacas eram de café arábica — um ano antes, somavam 12,470 milhões de sacas. Os estoques de café conilon totalizavam 995 mil sacas em 31 de março passado, também abaixo das 1,119 milhão de sacas  existentes em igual data de 2016.

O levantamento da  Conab foi realizado no período de março e junho deste ano, para estimar o estoque de passagem no fim da safra 2016/17 (chamada de safra 2016 pela estatal).

É a terceira queda consecutiva dos estoques privados de café no país levantados pela Conab. E a mais expressiva delas. Os dados corroboram o que  fontes do setor de café, como exportadores, indústrias e produtores,  vêm afirmando recentemente de que houve uma forte queda nos estoques do grão  Brasil.

De acordo com a Conab, foram pesquisados 931 armazenadores com a emissão de 1.495 boletins. Do total de boletins emitidos, apenas 575 foram preenchidos e 920 não preencheram as informações de estoques.

A  queda expressiva nos estoques de arábica pode ser explicada pelo fato de que a menor oferta de conilon na safra 2016/17 levou torrefadoras do país a utilizar mais arábica em seus blends, segundo analistas do mercado.

A pesquisa da Conab mostra, mais uma vez, que a maior parte dos estoques  privados estava no Estado de Minas Gerais, principal produtor de café arábica do país. Em 31 de março deste ano, os armazéns do Estado tinham 7,670 milhões de sacas de arábica — eram de 9,439 milhões de sacas em 31 de março de 2016. Já o estoques de conilon somavam 20.242 sacas, bem abaixo das 128.834 sacas um ano antes.

No Espírito Santo, maior produtor de café conilon,  que sofreu com forte seca nos últimos anos, os estoques privados despencaram. Os estoques de arábica somavam  161.277 sacas em 31 de março passado ante 427.452 sacas  um ano antes. Os estoques de conilon caíram para 487.496 sacas em 31 de março deste ano, também inferior às  528.236 sacas em igual data de 2016.

O levantamento mostrou ainda que os estoques  governamentais de café em 31 de março deste ano também tiveram forte redução. No fim do primeiro trimestre, somavam  255.344 sacas ante  1,489 milhão de sacas existentes nos armazéns da Conab na mesma data de 2016.

A redução pode ser explicada pela decisão do governo de leiloar café de seus estoques diante da escassez de oferta no mercado entre o fim de 2016 e início deste ano.

Fonte: Valor Econômico (Por Alda do Amaral Rocha)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *