Estoque certificado de café em fevereiro cai na Bolsa de NY e de Londres

Imprimir
O estoque certificado de café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) caiu cerca de 4,5% em fevereiro passado, depois de 13 meses de altas consecutivas. O estoque passou de 2,24 milhões de sacas de 60 kg em janeiro para 2,14 milhões de sacas no mês passado. As informações são da Organização Internacional do Café (OIC), em relatório mensal divulgado nesta quarta-feira, 7.

No mercado de café robusta, o estoque certificado na Bolsa de Londres (ICE Futures Europe) também registrou queda (15%) em fevereiro, pelo terceiro mês seguido, passando de 1,79 milhão de sacas em janeiro para 1,52 milhão de sacas. Conforme a OIC, trata-se do menor volume desde agosto de 2014.

Com relação à exportação, a OIC destaca que, após um início tardio da colheita, as exportações do Vietnã em janeiro de 2018 subiram para 3,29 milhões de sacas, quase o dobro do volume no mesmo mês de um ano atrás, o que explica em grande parte o crescimento global de 16,4% nas exportações, para 8,96 milhões de sacas nos primeiros quatro meses de ano cafeeiro 2017/18.

Conforme a OIC, o Vietnã é o maior produtor de café robusta, representando aproximadamente 45% da produção mundial. Em 2017/18, a produção do Vietnã está projetada em 28,5 milhões de sacas, 11,6% superior a 2016/17, mas 0,8% menor que em 2015/16.

A OIC ressalta que a Indonésia e a Índia também são produtores relativamente grandes de robusta, representando cerca de 15% e 6% da produção global, respectivamente. A produção da Indonésia em 2017/18 está prevista em queda de 6%, para 10,8 milhões de sacas. A produção da Índia está estimada em 5,84 milhões de sacas para 2017/18, 12,3% maior período anterior.

Fonte: Estadão Conteúdo via IstoÉ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *