Espírito Santo assina convênio para o desenvolvimento do café capixaba

Imprimir

Inovação tecnológica no desenvolvimento da cafeicultura. Esse é o objetivo da parceria assinada entre o Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) e sua autarquia vinculada, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); com o Centro de Desenvolvimento Tecnológico do Café (Cetcaf).

A solenidade de assinatura do convênio aconteceu na manhã desta terça-feira (25), no gabinete do governador Renato Casagrande, no Palácio Anchieta. Estiveram presentes o secretário estadual de Agricultura, Enio Bergoli; o superintendente do Cetcaf, Frederico Daher; além de representantes da cadeia produtiva da cafeicultura.

O convênio pretende estimular a produção e a qualidade dos cafés conillon e arábica, qualificando seus agricultores. A parceria vai permitir a realização de cursos profissionalizantes para o cafeicultor e seus universos tecnológicos e mercadológicos, além da diversificação agrícola.

“A assinatura deste convênio é um ato carregado de simbolismo, já que a cafeicultura faz parte da identidade capixaba. Fora do eixo litorâneo e da Região Metropolitana, o café representa um dos grandes indutores do desenvolvimento, de distribuição de riquezas e geração de oportunidades, nossos focos prioritários de gestão. E por acreditar nesta cadeia produtiva, bem organizada, é que damos mais um passo em direção ao fortalecimento da cafeicultura no Espírito Santo”, destacou o governador Renato Casagrande.

Convênio – O secretário Enio Bergoli explicou que o convênio reúne 19 ações, sendo encontros para difusão de tecnologia, simpósios regionais, cursos práticos, estudo de irrigação e intercâmbio técnico-científico. As ações vão impactar diretamente cerca de três mil propriedades cafeeiras.

Ele lembrou que a produção de café emprega hoje, no Estado, mais de três mil pessoas, em 490 mil hectares cultivados, com cerca de 1,16 bilhão de pés. A safra de 2011 bateu o recorde de produção com 11,5 milhões de sacas, o que representa 27% da safra nacional.

“Hoje é um dia especial, em que comemoramos as conquistas da cafeicultura capixaba e damos mais um passo na direção de levar a tecnologia aos pequenos produtores. O Espírito Santo conquistou, este ano, a maior produtividade (produção por área) do Brasil, com a colheita da maior safra da nossa história. Precisamos investir na continuidade de parcerias que nos permitam melhorar cada dia mais”, afirmou Bergoli.

De acordo com o superintendente do Cefcaf, Frederico de Almeida Daher, a seleção dos produtores participantes será feita pelo Cetcaf, Incaper e prefeituras. “Vamos buscar pessoas que sejam lideranças em suas comunidades e que tenham capacidade de transformar sua região. O maior insumo disponível é a informação de mercado e tecnologias que permitam não só o aumento da produtividade e da qualidade, agregando renda à produção”, pontuou.

Fonte: Ascom Seag

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *