EPAMIG tem novos projetos aprovados pela Fapemig

Imprimir

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) teve nove projetos aprovados pelo Edital Universal da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), somando cerca de R$ 230 mil em recursos. As atividades devem ter início no primeiro semestre de 2012 e serão desenvolvidas em unidades da EPAMIG em diversas regiões de Minas Gerais. A previsão é de dois anos para conclusão dos trabalhos.

Foram aprovados projetos de pesquisas em arroz, sorgo forrageiro, rosas, café, produção de bovinos e produção de leite. O projeto aprovado “Estratégias nutricionais para obtenção de bovinos precoces à desmama e ao abate advindos de um sistema misto de produção de leite nos trópicos”, de autoria do pesquisador da EPAMIG José Reinaldo Ruas, visa avaliar a viabilidade econômica de reduzir o período de lactação de vacas mestiças para aumentar o peso à desmama dos bezerros e determinar as exigências nutricionais de proteína, energia e macrominerais de bovinos mestiços de duas classes sexuais em terminação. A primeira fase do experimento será conduzida na Fazenda Experimental da EPAMIG em Felixlândia. Serão utilizados 60 bezerros terminais mestiços. A segunda fase será realizada na Universidade Federal de Viçosa com os mesmos animais divididos em grupos de classes sexuais distintas.

Também foi aprovado projeto de pesquisa "Produção Integrada de rosas em Minas Gerais – Subprojeto 4: Manejo sustentável do solo e  diversificação de espécies", de autoria da pesquisadora Elka Fabiana Almeida. O objetivo deste projeto é definir o mais adequado manejo do solo para melhorar suas características físicas, químicas e biológicas, reduzir a adubação química e produzir rosas de qualidade no Sistema de Produção Integrada (SPI). Os experimentos serão instalados visando disponibilizar informações sobre o comportamento de outras variedades de rosas e de adubos verdes para indicação no SPI, iniciados em outro projeto conduzido no Núcleo Tecnológico EPAMIG Floricultura, em São João del-Rei. “Com este trabalho espera-se agregar informações à produção integrada de rosas e contribuir para a certificação das propriedades rurais”, explica Elka. Segundo o diretor de Operações Técnicas da EPAMIG, Plínio Soares, o Edital Universal auxilia na continuidade de diversos projetos, como, por exemplo, os do Programa de Melhoramento do Arroz. “Também foram apresentadas novas propostas pela EPAMIG”, afirma.

Edital Universal
O maior e mais esperado edital da Fapemig, o Edital Universal, teve números recordes. Este ano, foram 1866 propostas recebidas, 750 aprovadas, cerca de R$ 23 milhões em recursos. O Edital Universal é um dos mais esperados no meio científico do Estado, por oferecer apoio a projetos desenvolvidos em todas as áreas do conhecimento e reunir o maior volume de recursos. Ele dá ao pesquisador a liberdade de propor o tema e permite melhor estruturação de laboratórios de pesquisa, permitindo, inclusive, o custeio de material bibliográfico. As propostas recebidas passam pela análise das Câmaras de Assessoramento da Fapemig, distribuídas entre todas as áreas do conhecimento, que as julgam, classificam e recomendam. São mais de 90 doutores, especialistas nas modalidades dos projetos submetidos.

Fonte: Revista Cafeicultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *