EPAMIG realiza Dia de Campo em Três Pontas

Imprimir

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) realizou terça-feira (05/04), 4º Dia de Campo Café com Leite, na Fazenda Experimental da Empresa, em Três Pontas. O evento integrou 150 produtores, técnicos e estudantes, de vários municípios do Sul de Minas, de duas tradicionais atividades rurais da região, cafeicultura e produção de leite.

Pesquisadores e extensionistas apresentaram temas das referidas áreas, em sete estações de campo, como: cultivares de café resistentes a ferrugem; alternativas para o controle da broca no cafeeiro; qualidade do café, diversificação do produto para o consumidor final; produção de leite a pasto, a era do genoma bovino e influência da biotencologia na produção de silagem de milho.

O pesquisador da EPAMIG Antônio Alves Pereira apresentou oito cultivares promissoras para o Sul de Minas, desenvolvidas pela parceria EPAMIG, Universidade Federal de Viçosa, Universidade Federal de Lavras e Embrapa/Café: Oieras (MG 6851), Paraíso (MG H 419-1), Pau Brasil (MG1), Araponga (MG1), Sacramento (MG1) e Catiguá (MG 1, MG 2, MG 3). Os participantes obtiveram informações quanto às características das cultivares e também puderam observar cada uma delas, na lavoura cafeeira da Fazenda Experimental de Três Pontas.

Controle da broca no cafeeiro, praga que só ataca o fruto, foi tema abordado pelo pesquisador Júlio César de Souza, que há mais de 35 anos investiga infestações e alternativas de controle. Segundo o pesquisador, atualmente, as infestações da Broca estão reduzidas. “Como a entressafra no Sul de Minas foi seca, com pouca chuva, deverá ocorrer uma diminuição na infestação em 2011”, conclui. Entretanto, Júlio César, recomenda monitoramento e restrição no uso inseticida, apenas fazer controle químico nos talhões mais infestados.

O produtor rural Ronaldo José Gonçalves (Lambari-MG), que há 12 anos cultiva café Catuaí e Mundo Novo, disse que as informações absorvidas durante o Dia de Campo serão levadas para sua propriedade. “Interessei em novas cultivares de café da EPAMIG apresentadas durante o evento. Vou avaliá-las em minha lavoura”, completa. Para o cafeicultor familiar de Santo Antônio do Amparo, Márcio Lúcio Peixoto, o evento é também uma oportunidade de integração entre cafeicultores e técnicos. Ele conta que através da sua participação em projetos de pesquisa da EPAMIG, desenvolvidos em seu município, teve grandes resultados na qualidade do café produzido em sua lavoura. “Consegui exportar café cereja para os Estados Unidos”, comemora.

Tecnologias para produção de leite a pasto e alternativas para beneficiamento na propriedade rural também foram apresentadas durante o evento. O técnico da Emater-MG Alexandre Kurachi apresentou o Programa Minas Leite, desenvolvido pela EPAMIG e Emater-MG, que tem como objetivo melhorar a qualidade do leite produzido nas propriedades e incentivar a industrialização em Minas Gerais. O pesquisador da EPAMIG Adauto Lemos abordou sobre sistema de produção de Queijo Minas Artesanal como alternativa para produtores de regiões que tenham características históricas, tradicionais e culturais com o queijo, assim como as regiões já reconhecidas: Serro, Canastra, Araxá, Cerrado e Campo das Vertentes.

Adauto explicou que a partir da Lei 19.492, em vigor desde janeiro, o Queijo Minas Artesanal é aquele produzido no estabelecimento rural a partir de leite cru também retirado ali mesmo. Isso quer dizer que todas as regiões mineiras podem ser consideradas produtoras de queijo artesanal, desde que seja comprovada em seus municípios a fabricação do produto conforme a lei. “O primeiro passo do produtor é buscar os meios legais, a regulamentação da sua produção. E, em seguida o município terá que fazer seu processo de reconhecimento como patrimônio imaterial”, disse.

Pesquisas Café com Leite

A EPAMIG desenvolve tecnologias para cafeicultura e produção de leite em diversas regiões de Minas Gerais. Para o café as pesquisas estão concentradas no Núcleo Tecnológico EPAMIG Café, que coordena as atividades de pesquisa e desenvolvimento relacionadas àquela cultura, nas seguintes Unidades da Empresa: Fazenda Experimental de Machado, Fazenda Experimental Dr. Sílvio Menicucci, Fazenda Experimental de São Sebastião do Paraíso, Fazenda Experimental de Três Pontas, Fazenda Experimental de Patrocínio, Fazenda Experimental Vale do Piranga.

Pesquisas para produção de leite estão concentradas no Instituto de Laticínios Cândido Tostes, sediado em Juiz de Fora, referência na América Latina em pesquisa, ensino e produção de lácteos, além da área de pesquisa bovinocultura para produção leiteira desenvolvidas nas Fazendas Experimentais de Felixlândia e Santa Rita, em Prudente de Morais.

De acordo com o gerente da Fazenda Experimental de Três Pontas (FETP), Ronaldo Medeiros, o Dia de Campo Café Leite é também uma forma de abrir as portas da Fazenda para o cidadão, para produtor rural conhecer e multiplicar as tecnologias produzidas para a região. “Atualmente, temos uma vitrine com 40 variedades de café para demonstração”, explica.

Fonte: EPAMIG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *