Empresária e barista se unem e criam negócio com receitas inusitadas de café em MG

Imprimir
Drinks, brigadeiros e panqueca de café (Foto: Viola Júnior)
Drinks, brigadeiros e panqueca de café (Foto: Viola Júnior)

Já imaginou tomar uma caipirinha de café? E comer um torresmo com um molho feito a partir dos grãos? Pois é, foi assim que uma dupla de apaixonadas por café desenvolveu essa e diversas outras receitas inusitadas que levam o produto como base. O resultado foi uma empresa que realiza diversos experimentos culinários em pratos salgados, bebidas e sobremesas.

O projeto começou há dois anos com a empresária Raquel Souza e a barista Débora Mafra, que também é degustadora e classificadora de cafés. “Tem de ser um café diferenciado, os produtos feitos por nós demandam algo mais refinado, algo que o cliente sinta realmente ‘um que’ a mais na degustação e nessa busca, encontrei a Raquel, que produz justamente um café fino da lavoura à xícara”, explica Débora.

Raquel Souza e Débora Mafra (Foto: Viola Júnior)
Raquel Souza e Débora Mafra (Foto: Viola Júnior)

Apesar de já trabalhar há 11 anos nesse projeto, Débora diz que o universo das cafeterias também evoluiu e se adaptou à nova ordem gastronômica ditada pelo mercado buscando novidades para seus cardápios. Segundo Raquel, ainda há uma certa resistência com as novidades oriundas de produtos para cafeterias, mas ela atesta que o nível de aceitação das delícias cafeinadas já está em ampla evolução.

“Você não precisa deixar de ser tradicional para experimentar o novo, até mesmo porque não é todo dia que esses produtos estarão na sua mesa. Eu costumo comparar os produtos que fazemos utilizando o café ao vinho, você não toma vinho todos os dias”, diz a barista.

Ela ainda ressalta que hoje o público mais jovem está consumindo cada vez mais café, o que propicia a introdução de novidades oriundas do fruto no mercado. A empresa da dupla, que já presta consultoria para 17 clientes entre cafeterias restaurantes e padarias da região, desenvolve ainda um projeto para lançamento de um livro com cerca de 200 receitas desenvolvidas por elas. Débora explica que é preciso saber dosar corretamente a introdução do café nos pratos.

“Em pratos salgados é preciso um toque bem sutil para o café não se sobressair demais. Já nos doces, a dosagem é diferente. Na panqueca por exemplo, faço a massa de café, tudo tem um estudo e muitos experimentos para se chegar ao ideal”, diz a barista.

Lombo de porco, torresmo frito e caipirinha com molho de café (Foto: Viola Júnior)
Lombo de porco, torresmo frito e caipirinha com molho de café (Foto: Viola Júnior)

Elas ainda exaltam o fato do Sul de Minas ser uma região propícia para se produzir café de alta qualidade, produto este, que é a matéria prima principal de suas criações. Raquel enaltece que é preciso direcionar o ponto de torra conforme a região em que vai se atuar.

“Os públicos são diferentes e temos que estar atentas a isso. Uma padaria está muito gourmet hoje e elas estão buscando produtos diferentes que se encaixam no gosto de seus clientes”, lembra.

A expectativa das empreendedoras é de que a empresa se fixe no mercado explorando sempre novidades oriundas do café e esperam descobrir cada vez mais combinações agradáveis para o mundo da gastronomia.

“Hoje fazemos molhos de café que combinam perfeitamente com carne de porco, como um lombo ou mesmo torresmo frito acompanhado de uma caipirinha, também com molho de café. As caldas são utilizadas em sorvetes e drinks, fazemos geleias, massas de panqueca, bolos, pudins, enfim, uma variedade enorme”, conta Débora.

Aprenda abaixo a fazer uma massa de panqueca à base de café:
– 2 ovos
– 1 copo de farinha
– 1/2 copo de leite
-1/2 copo de café
– 1 pitada de sal
– 1 colher cheia de açúcar
– 1 pitada de pó royal
– 1 colher de sobremesa de açucar
* O café tem de ser forte, de preferência expresso

Modo de fazer: Bater todos os ingredientes no liquidificador, untar a frigideira, colocar a massa, virar a massa em média de 30 segundos cada lado. Servir com sorvetes, doces, geleias, etc. Decorar com caldas.

Fonte: G1 Sul de Minas (Por Viola Júnior)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *