Embrapa Rondônia faz parcerias e testes para colheita semimecanizada de café no Estado

Imprimir

A cafeicultura em Rondônia sempre foi considerada uma das principais atividades agrícolas do Estado, no entanto, a falta de mão de obra tem sido um grande limitante ao desenvolvimento da produção, tanto em quantidade como em qualidade. O êxodo rural e o envelhecimento da população do campo estão colaborando para a falta de trabalho qualificado, visíveis principalmente no período da colheita. 

Com foco nesta realidade, a Embrapa Rondônia está avaliando a implementação de técnicas que aumentem o rendimento das lavouras, a eficiência de colheita e a qualidade do trabalho em termos de segurança, conforto e fatores humanos. Existe um grande número de máquinas e equipamentos destinados à colheita do café, entretanto, a maioria foi projetada para atuar em lavouras de café arábica. No caso da cafeicultura no Estado de Rondônia, que é o segundo produtor de café conilon (Coffea canephora) do país, esta adequação às condições específicas de produção se tornam ainda mais importantes.

De acordo com o pesquisador Enrique Alves, a colheita semimecanizada do café Canephora (Conilon e Robusta) pode ser uma alternativa viável para os produtores rondonienses.

– As parcerias firmadas com as empresas de máquinas e equipamentos agrícolas Indústrias Colombo/Miac e Yanmar/Agritech propiciam a adequação e o desenvolvimento de tecnologias e equipamentos que muito em breve poderão ser utilizados pelo agricultor no seu dia a dia – afirma o pesquisador.

Segundo ele, o objetivo é, a curto e médio prazo, avaliar o desempenho e a viabilidade da colheita semimecanizada em lavouras instaladas sob diferentes sistemas de manejo, condução e cultivares.

– Também será estudado o efeito dessa alternativa à colheita manual sobre a produção e qualidade do café, assim como sobre a longevidade das plantas – explica.

Parcerias e os primeiros testes

No mês de maio deste ano, a parceria entre Embrapa Rondônia, Indústrias Colombo/Miac e, posteriormente, com a Yanmar/Agritech proporcionou o início dos trabalhos para a colheita semimecanizada do café Canephora no Estado. Estão sendo utilizados nos estudos colhedoras e equipamentos das Indústrias Colombo/Miac e o trator da Yanmar/Agritech, todos no Campo Experimental da Embrapa Rondônia em Ouro Preto do Oeste.

Nos primeiros testes, realizados no município de Alta Floresta do Oeste (RO), foram feitas medições e, comparando com a colheita manual, o rendimento da máquina foi de aproximadamente cinco para um. Isso quer dizer que, considerando a máquina trabalhando com quatro operadores, ela tem potencial de fazer o trabalho de derriça de mais de 20 homens.

– Entretanto, muito trabalho ainda há de ser feito. É preciso um ajuste mais fino das máquinas, assim como um planejamento da implantação da lavoura e escolha de variedades com características desejáveis à colheita semimecanizada (porte e arquitetura da planta, homogeneidade de maturação e produtividade) – detalha Enrique Alves.

Fonte: Ascom Embraoa via Rede Social do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *