Embrapa e Frente Parlamentar da Cafeicultura unem esforços

Imprimir

Para acompanhar e incentivar as políticas de fomento e proteção ao café no país foi lançada a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cafeicultura, na quarta-feira (22/06), na Câmara dos Deputados. Na ocasião, estiveram presentes o diretor de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa, Maurício Antônio Lopes, o chefe geral da Embrapa Café, Paulo Cesar Afonso Junior, e a gerente de transferência de tecnologia da Unidade, Isabel Penteado. O trabalho por recursos para a pesquisa cafeeira está entre as metas da Frente. A Frente Parlamentar reúne 340 deputados e 6 senadores comprometidos com o desafio de tornar o Brasil, hoje o maior exportador de café do mundo, também o melhor em qualidade do produto.

Entre outros desafios elencados pela Frente Parlamentar, estão a manutenção e ampliação dos preços atuais do café, novas tecnologias e financiamentos para o setor, sustentabilidade e respeito ao meio ambiente, conquista de novos mercados e crescimento nos mercados atuais e o trabalho por investimentos para a pesquisa e extensão em café, permitindo que as tecnologias cheguem no tempo certo na cadeia produtiva. Os desafios da Frente vão ao encontro da missão da Embrapa de viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura, em benefício da sociedade brasileira. O diretor da Embrapa, Maurício Lopes, destacou durante o evento que não há experiência tão ampla em pesquisa com café como a do Brasil e que a Embrapa, com seus parceiros, a Embrapa Café, coordenando o maior programa de pesquisa em café do mundo, e o Consórcio Pesquisa Café são extremamente importantes nesse cenário. “Não há no mundo sistema de pesquisa como o coordenado pela Embrapa Café. E com a criação da Frente podemos unir esforços com o Congresso para darmos um salto na cafeicultura, melhorando a qualidade do produto e agregando valor ao café brasileiro”.

O presidente da Frente Parlamentar, deputado Diego Andrade (PR-MG) ressaltou a importância do trabalho voltado para o incentivo e a valorização dessa cultura que é uma das grandes geradoras de emprego e renda do país e que, por isso mesmo, deve também gerar renda justa para o produtor. Para Maurício Lopes, o desenvolvimento da cafeicultura está diretamente atrelado à inovação, fazendo frente às mudanças globais e à necessidade de mudarmos paradigmas para o Brasil ser reconhecido não só pelo volume de sua produção, mas também pela qualidade. “Com ciência, tecnologia e inovação e com o trabalho da Frente Parlamentar temos oportunidade para isso. O Brasil pode ser mais que o maior produtor de café e se tornar um importante produtor de cafés”, ressaltou. Nesse contexto, o deputado Diego Andrade lembrou que a criação do grupo parlamentar é o momento para o poder público, entidades, sindicatos e sociedade trabalharem juntos pela cadeia produtiva do café.

Com o lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cafeicultura, os parlamentares presentes expressaram o desejo de iniciar o quanto antes as atividades do grupo. “O que interessa agora é somarmos esforços porque temos uma causa maior para o desenvolvimento do país”, defendeu o deputado Domingos Savio (PSDB-MG), 1º vice-presidente da Frente. Finalizando as declarações, o senador Clésio Andrade (PR-MG), suplente do conselho fiscal, solicitou que o plano de ação do grupo seja rapidamente elaborado para início do trabalho da Frente, que tem como metas: apoiar os produtores para fomentar a atividade, acompanhar junto ao Governo as políticas para o café, buscar novas tecnologias, abrir novos mercados e agregar valor ao café.

Durante a cerimônia do lançamento, a Embrapa Café apresentou uma variedade de café, resultante de projeto de pesquisa desenvolvido no âmbito do Consórcio Pesquisa Café, na forma de degustação da bebida.

Fonte: Área de Comunicação & Negócios da Embrapa Café 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *