Embrapa aborda café naturalmente descafeinado

Imprimir

Pesquisa da Embrapa Café (Brasília-DF) e do Instituto Agronômico de Campinas (IAC) vai permitir que amantes do bom cafezinho com problemas com a ingestão de cafeína possam vivenciar a paixão pela bebida. Esse é o tema da próxima edição do Prosa Rural, o programa de rádio da Embrapa, que vai ao ar na semana do dia 18 de julho. Os pesquisadores das duas instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café juntam esforços para obter uma cultivar de café naturalmente descafeinado e, para isso, estão realizando testes em plantas cujo teor da substância é de apenas 0,07% — 10 vezes menos que o café consumido habitualmente, o Coffea arabica.

“Inúmeras espécies e variedades foram identificadas com teor reduzido de cafeína nos grãos entre as cerca de três mil plantas da coleção de café arábica oriundas da Etiópia”, explica a pesquisadora Mirian Maluf, da Embrapa Café.

Essas plantas estão sendo manipuladas para aumentar sua produtividade e assim obter uma cultivar comercialmente viável, naturalmente descafeinada. “Estamos abordando essa questão com técnicas tradicionais de melhoramento e também usando ferramentas avançadas de biotecnologia”, explica Mirian.

Mudas clonadas obtidas por estaquia ou cultivo in vitro das matrizes encontram-se em ensaios de campo desde 2007. Os pesquisadores também já obtiveram a segunda geração de híbridos e seguem com os testes. “Esta etapa é importante para que nós possamos verificar quais genes estão governando as características da planta, além de corrigir defeitos e analisar necessidades de plantio, como adubação e espaçamento entre as plantas”, completa Oliveiro Guerreiro, pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas – IAC.

O Prosa Rural é o programa de rádio da Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Fonte: Área de Comunicação & Negócios da Embrapa Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *