Emater-MG garante investimentos para a cafeicultura familiar nas regiões Leste e Sul de Minas

Imprimir

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), vencedora da chamada pública para a assistência técnica da agricultura familiar na modalidade “Sustentabilidade para a Cadeia da Cafeicultura”, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), tem previsão de iniciar o cronograma de atividades no mês de fevereiro. O projeto beneficiará cerca de 2,6 mil famílias de 77 municípios das regiões Leste e Sul de Minas.

O contrato com o MDA foi assinado no final de 2013. A Emater-MG tem prazo de três anos para cumpri-lo. E, para não perder tempo, a Empresa pública promoveu no final do ano passado, uma reunião da Unidade de Planejamento e Estratégia Corporativa (UPEC), com os gerentes e alguns coordenadores das cidades que serão beneficiadas.

Agregação de valor à produção cafeeira e expectativas para a cadeia do leite

De acordo com o presidente da Emater-MG, José Ricardo Roseno, "a assistência técnica é fundamental para o desenvolvimento da atividade cafeeira. E este projeto terá recursos fundamentais para o atendimento aos cafeicultores do sistema familiar.”

O presidente destaca que dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que os produtores que têm acesso à assistência técnica possuem condições de ampliar a renda em até quatro vezes, quando comparado com os que não têm. O projeto abrangerá 77 municípios com o atendimento de 2,6 mil agricultores familiares.

O objetivo é capacitar e aprimorar os processos produtivos, o que é fundamental para agregar valor à produção cafeeira”. “Para isso a Emater-MG precisa de recursos para a ater, e uma parceria onde o governo de Minas coloca pessoal a serviço do MDA que, por sua vez, coloca recursos para custear as despesas, permite que um grande número de agricultores familiares tenham assistência técnica diferenciada e de qualidade”, explica o coordenador Técnico Estadual de Planejamento e Gestão Estratégica, Cláudio Augusto Bortolini.

A contratação da Emater-MG é fruto de uma nova modalidade de contrato de serviços que vem sendo feita pelo MDA desde 2010, e que dessa vez tem foco direcionado para as cadeias do café e do leite, oferecendo assistência técnica intensificada por meio de organização dos agricultores, de inserção dos agricultores no Programa Nacional da Agricultura Familiar (Pronaf), de prestação de ater aos produtores familiares, de promoção de reuniões e encontros técnicos de dias de campo, além de elaboração de projetos de créditos rurais.

A Emater-MG concorreu em oito lotes de chamadas públicas do MDA para contratação de empresas para prestação de ater em Minas Gerais. Disputou e venceu duas para café, onde garantiu o recurso de 8,6 milhões de reais para três anos. A Empresa aguarda o resultado para as seis modalidades da cadeia do leite, ainda em análise do MDA. “Há expectativa de sermos contratados também, e assinarmos o contrato ainda nesse mês”, diz Bortolini.

Segundo o gerente de Consultoria e Planejamento da Emater-MG, Leonardo Kalil, com os dois contratos das cadeias do café e do leite assinados, a Emater-MG receberá 30 milhões de reais para custear os serviços de ater em três anos, com previsão de recebimento de dez milhões anuais, numa ação que abrangerá 342 municípios e mais de 450 técnicos da Empresa. “Cerca de nove mil famílias de agricultores familiares mineiros serão beneficiadas”, destaca.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Emater-MG via Rede Social do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *