Em dia de grande volatilidade, café termina em baixa na ICE

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica negociados na ICE Futures US tiveram uma terça-feira de grande volatilidade e encerraram a sessão com perdas, após terem acumulado fortes ganhos na primeira parte da sessão.

O dia teve contornos bem distintos, com os bons ganhos da parte inicial permitindo que a posição março conseguisse romper o intervalo de 260,00 centavos de dólar por libra peso, com o grão atingindo o seu melhor nível de preços desde junho de 1997.

No entanto, na segunda parte do dia, algumas realizações e vendas especulativas passaram a ser observadas e, passo a passo, o mercado foi perdendo corpo e terminou com perdas, que, inclusive, se intensificaram no after-hours.

Apesar das perdas, o mercado continua se mostrando sólido e as baixas vieram, principalmente, com realizações de lucro normais para um período de ganhos contínuos como o recente e também caracterizado por fortes rolagens.

Na próxima quinta-feira tem início o período de notificação do contrato de março na bolsa norte-americana, o que estimula um grande número de players a executarem suas rolagens, principalmente para maio e julho. Fundamentalmente, o mercado mantém sua sustentação no cenário de oferta extremamente curta e também nos estoques internacionais que, segundo projeções da Organização Internacional do Café, estariam nos menores níveis em quatro décadas. Esse cenário ainda ganha contornos positivos ao se verificar que a demanda mundial do grão continua tendo um crescimento.

No encerramento do dia, o março em Nova Iorque teve queda de 60 pontos com 258,05 centavos, sendo a máxima em 263,65 e a mínima em 255,70 centavos por libra, com o maio tendo oscilação negativa de 60 pontos, com a libra a 261,10 centavos, sendo a máxima em 266,75 e a mínima em 258,70 centavos por libra. Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição março registrou alta de 13 dólares, com 2.252 dólares por tonelada, com o maio tendo valorização de 12 dólares, com 2.295 dólares por tonelada.

De acordo com analistas internacionais, o dia foi caracterizado por uma ampla volatilidade, que permitiu que o março conseguisse suplantar uma marca técnica bastante interessante — de 260,00 centavos — até sofrer alguma pressão e passar a desacelerar. O mercado externo teve um dia de índice CRB em baixa, assim como as bolsas de valores nos Estados Unidos, ao passo que o dólar, após dias de ganhos em relação a uma cesta internacional de moedas, teve uma pequena retração.

Um fator que pressionou o mercado na parte da tarde foi a divulgação de índices sobre o comércio dos Estados Unidos, que teve um crescimento abaixo do esperado pelos operadores em janeiro. "Os fatores externos, no entanto, não foram os principais condutores do comportamento do dia. Recuamos ao final por conta de aspectos puramente técnico, já que as altas recentes foram bastante expressivas e abriram espaço para vários operadores se sentirem confortáveis em realizar", disse um trader.

A greve dos caminhoneiros na Colômbia completa duas semanas, sem solução visível. Em algumas regiões do país os trabalhadores fecharam estradas, o que causou longos congestionamentos. Apesar de o governo ter divulgado que não negociaria com os caminhoneiros, representantes da categoria foram recebidos na tarde desta terça-feira pelo vice-presidente Angelino Garzón. Nenhuma nota sobre o encontro havia sido emitida pelo governo local até o início da noite.

Os estoques de café nos Estados Unidos tiveram uma alta de 70.782 sacas no final de janeiro, totalizando 4.044.513 sacas, informou a GCA (Green Coffee Association). No final de dezembro os estoques do país eram de 3.973.731 sacas. A maior alta de estoques foi verificada no armazém de Nova Iorque, com aumento de 76.208 sacas, com o aumento nos armazém de Norfolk sendo de 18.028 sacas. A maior retração foi observada no armazém de Jacksonville, com baixa de 58 mil sacas.

As exportações de café do Brasil em fevereiro, até o dia 14, somaram 698.934 sacas, contra 611.982 sacas registradas no mesmo período de janeiro, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

Os estoques certificados de café na bolsa de Nova Iorque tiveram queda de 4.282 sacas indo para 1.604.907 sacas.

O volume negociado no dia na ICE Futures US foi estimado em 31.932 lotes, com as opções tendo 5.060 calls e 6.235 puts.

Tecnicamente, o março na ICE Futures US tem uma resistência em 263,65, 264,00, 264,50, 264,90-265,00, 265,50, 266,00, 266,50 e 267,00 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 255,70, 255,50, 255,10-255,00, 254,50, 254,00, 253,50 253,00 e 252,50 centavos por libra.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *