Eleição de brasileiro na OIC “está difícil”, diz ministro

Imprimir

Às vésperas da reunião da Organização Internacional do Café (OIC), que elegerá um novo diretor-executivo para os próximos cincos anos, o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, admite a dificuldade do governo em garantir apoio ao candidato brasileiro. "Tenho falado por aí, tenho pedido ajuda, estou trabalhando. Está difícil", afirmou o ministro ao Valor.

Favorito na disputa, o atual diretor do Departamento do Café, Robério Silva, enfrentará um candidato do México e outro da Índia na eleição marcada para a próxima semana. Uma comitiva de produtores, cooperativas, industriais e exportadores brasileiros de café viajará à sede da OIC, em Londres, para fazer campanha em favor de Robério Silva, nome de consenso do segmento no país.

Fundada em 1966, a OIC é uma espécie de "Opep do café". Tem muita influência nas políticas dos 33 países produtores e na formação de preços e controle da produção da commodity. O Brasil é o maior produtor mundial e também o membro com maior peso político na organização.

O novo diretor administrará um orçamento superior a 3 milhões de libras. Esses recursos são parte de uma contribuição calculada pela média percentual das exportações e importações dos 39 países-membros.

O resultado da eleição na OIC está ligado, em parte, à reforma interna que Mendes Ribeiro pretende operar no ministério. O ministro sofre pressões de seu partido, o PMDB, para alojar o ex-deputado Silas Brasileiro (MG) no cargo ocupado hoje por Robério Silva. Em caso de derrota do candidato brasileiro à direção da OIC, o ex-deputado seria deslocado à Assessoria Especial do ministro.

"Eu quero pegar o Silas Brasileiro para nos ajudar. Estamos estudando aonde ele ficará. Assessor especial… Eu gostaria de ter o Silas em duas coisas: como assessor especial livre para atuar em todas as áreas ou no [departamento do] café", disse. "Talvez eu tenha que optar por uma delas e não posso, quem sabe, deixar ele fazer o que ele gostaria de fazer?". Mas um insucesso na OIC complicaria as coisas: "Aí, o Silas quer o café e, aí, o que vai acontecer? Se eu perco o troço (OIC) lá? Silas era um nome que poderia ajudar em todas as pontas".

Fonte: Valor Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *