Dores do Rio Preto realiza encontro sobre tecnologia de poda do café arábica

Imprimir
A Poda Programada de Ciclo do Café Arábica (PPCA) foi tema de encontro com produtores rurais no município de Dores do Rio Preto. O evento realizado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e parceiros, reuniu 42 participantes entre técnicos e produtores da região, na propriedade do cafeicultor Paulo Sérgio Tavares Thuler e de sua esposa Sônia Thuler, na comunidade de Cachoeira Alegre.

“A família trabalha com cafeicultura e pecuária de leite, sendo referência nestas duas áreas. Nesse sentido, a propriedade tem proporcionado oportunidades para demonstração de resultados e referências no município e região”, disse Priscila de Oliveira Nascimento, extensionista do Incaper em Dores do Rio Preto.

A parceria do Incaper com o casal de cafeicultores é antiga: “Neste mesmo local foi implementado um estudo sobre diferentes densidade de hastes e plantas por área, com o objetivo de identificar, difundir e sistematizar o manejo da PPCA na região. O trabalho teve início em 2017 com a escolha da área, e a primeira colheita deve ser feita agora em agosto de 2019”, pontuou o pesquisador do Incaper Abraão Carlos Verdin Filho, coordenador técnico de cafeicultura.

Verdin ministrou uma palestra sobre a PPCA. Os participantes também visitaram uma unidade demonstrativa, instalada na propriedade, e aproveitaram para tirar dúvidas. “Eles saíram muito animados com a nova poda, que tem entre outros benefícios a eliminação da safra zero”, afirmou Priscila de Oliveira Nascimento.

Sobre a PPCA
A Poda Programada de Ciclo no Café Arábica é uma tecnologia de manejo da cultura, procedente de resultados de pesquisa que vem sendo desenvolvida desde 2008. O novo sistema de poda foi desenvolvido com base nos princípios utilizados para o estabelecimento da poda programada de ciclo para o café conilon. A PPCA foi inicialmente trabalhada em altitude próxima a 700m e atualmente está em fase de validação nos demais ambientes zoneados para a cultura no Estado, notadamente nos ambientes situados entre 700 a 1100 m de altitude.

Vantagens da PPCA
– Redução média de 50% de mão de obra na colheita manual.
– Maior uniformidade das floradas e da maturação dos frutos.
– Aumento superior a 28% na produtividade média da lavoura em 5 colheitas.
– Elimina a safra zero na renovação da lavoura.
– Facilidade de entendimento e execução.
– Padronização do manejo da poda.
– Maior facilidade para realização da desbrota e dos tratos culturais.
– Menor pressão e melhoria no manejo de pragas e doenças.
– Maior estabilidade de produção na lavoura.
– Maior facilidade para realização da colheita.
– Possibilidade da colheita semimecanizada.

Fonte: Ascom Incaper
Via CNC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *