Dólar tem maior queda em quase um mês e fecha a R$ 1,578

Imprimir

A cotação do dólar comercial fechou em baixa de 1,13% nesta terça-feira (28), a R$ 1,578 na venda. Com isso, a moeda norte-americana tem a maior queda desde o dia 2 de junho (quando teve a mesma desvalorização).

O BC voltou a realizar apenas um leilão de compra de dólares no mercado à vista. A taxa aceita hoje foi de R$ 1,577. A medida busca elevar a cotação da moeda.

A cotação do dólar reflete a maior confiança do mercado em uma solução para a crise na Grécia. A rolagem apenas parcial de contratos de swap reverso em leilão também contribuiu para a queda do dólar.

O motivo era a confiança de investidores em uma solução para a crise na Grécia. Um parlamentar que havia prometido votar contra as medidas de austeridade voltou atrás, dando mais conforto ao governo durante a crucial votação desta semana.

Sem a aprovação das medidas fiscais, o país não receberá a nova parcela de ajuda, enfrentando o risco de uma moratória.

Além disso, embora as autoridades da zona do euro descartem publicamente que possam ajudar a Grécia no caso de um "não" do Parlamento, nos bastidores trabalham com alguns planos alternativos. Os bancos franceses já concordaram em princípio com um plano de rolagem da dívida grega.

A maior disposição dos investidores em todo o mundo em aplicar em ativos de risco encontrou no Brasil um ambiente favorável para a queda do dólar. De acordo com relatório de Diego Donadio, estrategista do banco francês BNP Paribas, os investidores com posições vendidas na moeda norte-americana impunham uma pressão maior do que os comprados às vésperas da rolagem de derivativos na BM&FBovespa.

Segundo dados da Bolsa, os estrangeiros tinham mais de 20 bilhões de dólares em posições vendidas em dólar em contratos futuros e de cupom cambial (DDI).

Outro motivo para que o real pudesse se fortalecer, segundo Donadio, era a possibilidade de que o Banco Central rolasse apenas parcialmente o lote de US$ 1,695 bilhão em swap reverso que vence no fim do mês. Isso se confirmou, com o BC colocando US$ 1,244 bilhão  para setembro.

Fonte: UOL Economia com informações de Reuters e Valor 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *