Dia Nacional e Dia Internacional da Agricultura Familiar serão comemorados virtualmente pela Emater-MG

Imprimir
Evento on-line, nesta sexta feira, vai debater questões relativas ao setor de importante peso econômico no estado

Super live -AF O Dia Nacional e o Dia Internacional da Agricultura Familiar serão comemorados nos dias 24 e 25 de julho, respectivamente. Em tempos de pandemia da Covid-19, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) vai celebrar as datas promovendo a “Super Live da Agricultura Familiar”. O evento será transmitido pelo canal da empresa, no Youtube, na próxima sexta-feira (24/7), às 16 horas. A ideia é que seja um grande bate-papo on-line, entre técnicos da empresa e agricultores familiares, falando de suas experiências no campo. O encerramento vai contar com as palavras do diretor-presidente da Emater-MG, Gustavo Laterza e uma apresentação musical.

Vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa-MG), a Emater-MG apresentará um balanço de sua atuação no setor. A empresa pública de extensão rural tem na agricultura familiar o seu principal público atendido. Só em 2019, a Emater-MG deu assistência a 360 mil produtores do setor, em 794 municípios, principalmente por meio de convênios com prefeituras.

O evento desta sexta-feira será dividido em três blocos. No primeiro, serão abordados a potência do segmento, sua diversidade e sustentabilidade, além do seu peso econômico. No segundo bloco, será discutida como a agricultura familiar pode gerar bons negócios. Serão abordados os mercados institucionais e on-line. O crédito rural será apresentado como a alavanca para esses negócios e o cooperativismo como estratégia para crescer. Serão tratadas as demandas do setor e agregação de valor aos produtos, além de apresentar os testemunhos da gerente de uma cooperativa e de um produtor de ovos orgânicos.

O terceiro e último bloco da live vai discorrer sobre o tema “Juventude rural: uma força empreendedora”, tratando questões como sucessão familiar para garantir o futuro dos jovens no campo; empreendedorismo e inovação. Participarão do debate duas agricultoras da comunidade rural Noiva do Cordeiro, no município de Belo Vale, região central de Minas e uma cafeicultora de Fervedouro, Zona da Mata, finalista de um concurso latino para jovens inovadores, além de um cafeicultor da Associação de Produtores do Alto da Serra (Apas), em São Gonçalo do Sapucaí, do Sul de Minas.

Agricultura Familiar em números

É considerado agricultor familiar, segundo o 3º parágrafo da Lei nº 11.326/2006, aquele que pratica atividade no meio rural e não detenha área maior que quatro módulos fiscais; utilize, predominantemente, mão de obra da própria família nas atividades econômicas do seu estabelecimento ou empreendimento. Além disso, tenha renda familiar originada principalmente das práticas em seu estabelecimento, sendo este gerenciado pela família.

Segundo o Censo Agropecuário 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a categoria caracterizada como agricultura familiar, responde, hoje, pela maioria da população que vive e trabalha no meio rural. De acordo o instituto, dos 607.557 estabelecimentos rurais de Minas Gerais, 72,72% ou 441.829 são da agricultura familiar. E das 1.836.353 pessoas ocupadas na agropecuária, 59,02% ou 1.083.824 pertencem ao setor.

Já o Sistema Safra Agrícola da Emater-MG, que capta dados da produção agropecuária da agricultura familiar nos municípios mineiros, mostra algumas atividades produtivas, desenvolvidas pelo segmento, que merecem destaques.

Chama a atenção por exemplo, a importante participação da agricultura familiar, na produção de grãos no território mineiro. São 304.951 ou 91,16% desses pequenos agricultores no ofício, de um total geral de 334.532 produtores envolvidos. O resultado é que 98% da produção de arroz e 42% de feijão é advinda desse grupo rural.

Na bovinocultura, a agricultura familiar também sobressai com 68% da produção de leite do estado. A atividade está a cargo de 215.348 agricultores familiares, representando 83,98 % do contingente de 256.438 produtores, envolvidos com a atividade leiteira em Minas.

Na cafeicultura, a agricultura familiar tem importante papel na atividade, sendo responsável por 58% da produção mineira de café. São 124.108 cafeicultores familiares ou 89,58% do total de 138.544 que se dedicam à atividade cafeeira. Lembrando que Minas Gerais lidera a produção de café do Brasil, com cerca de 50% da safra nacional.

Mas a potência econômica da agricultura familiar em Minas não para por aí. O setor tem chamado a atenção nas produções de frutas, hortaliças, mandioca, agroindústrias, apicultura e artesanato rural, entre outras práticas realizadas no campo.

“São várias as possibilidades da agricultura familiar, por isso é grande o leque de atividades rentáveis. Pelo seu jeito peculiar, ela pode abarcar um mundo de oportunidades como nichos de mercados, produção de alimentos, agregação de valor à produção, turismo, agroindústria, artesanato, agroextrativismo, biodiversidade e qualificação de produtos com indicação geográfica”, explica a coordenadora estadual de Metodologia de Extensão Rural da Emater-MG, Maria Helena Silva.

Desenvolvimento e sustentabilidade

A Emater-MG tem uma vasta trajetória de serviços prestados à agricultura familiar em Minas Gerais. A empresa atua sempre atenta às diversas demandas das famílias rurais, procurando conhecer a realidade em que vivem, seus desafios e potencialidades. “A proposta é construir oportunidades e soluções que satisfaçam necessidades e promovam a melhoria da qualidade de vida de seu público. Sempre pautada na sustentabilidade das ações e atividades a serem empreendidas”, afirma o diretor-presidente da Emater-MG, Gustavo Laterza.

Segundo Laterza, é “com esse espírito de atuação que a Emater-MG cumpre, com muito orgulho, seu papel de braço forte operacional do Governo do Estado de Minas Gerais, voltado à promoção do desenvolvimento rural de forma sustentável e à execução das políticas públicas no meio rural”.

Super live da Agricultura Familiar
Dia: 24 de julho (sexta-feira)
Horário: 16 horas
Acesso: www.youtube/ematerminas

Programação
BLOCO 1: Agricultura Familiar: potenciais e diferenciais
1. A Agricultura Familiar é uma potência
Maria Helena Silva, Coordenadora Estadual de Metodologia de Extensão Rural – Emater-MG
2. Diversidade e Sustentabilidade: os grandes diferenciais
Márcia Campanharo, Coordenadora Técnica Estadual – Segurança Alimentar e Nutricional – Emater-MG
3. Uma agricultura de peso econômico
Edson Logato, Coordenador Técnico Estadual – Sistemas de Informação – Emater-MG

BLOCO 2: Agricultura Familiar e business
1. Dos mercados institucionais a amplitude do on-line
Ana Luiza Rezende, Coordenadora Técnica Estadual – Organização e Mercado – Emater-MG
2. Crédito Rural como alavanca
Marcos Meokarem, Coordenador Técnico Estadual – Crédito Rural -Emater-MG
3.Cooperativismo como estratégia para o crescimento
Luciane Cândida Pereira de Souza – Gerente da Comale Alimentos – Cooperativa Metropolitana de Agricultores Familiares
4. Demandas e agregação de valor
Rodrigo Ramos, produtor de ovos orgânicos

BLOCO 3: Juventude Rural: uma força empreendedora
1. Sucessão familiar para garantir o amanhã
Maria Helena Silva, Coordenadora Estadual de Metodologia de Extensão Rural – Emater-MG
2. Noiva do Cordeiro: uma comunidade rural empreendedora
Keila Fernandes Pereira e Flávia Emediato Vieira, produtoras rurais
3. Juventude Rural Inovadora
Bruna Carolina, cafeicultora assistida, vice-campeã do Prêmio Juventude Rural Inovadora 2020, categoria Geração de Renda.
4. Inovação de grão em grão
Augusto Borges, cafeicultor associado da APAs, São Gonçalo do Sapucaí

Encerramento
Diretor-presidente da Emater-MG, Gustavo Laterza
Atração musical: Márcia e Maciel, da Noiva do Cordeiro

Assessoria de Comunicação – Emater-MG
Jornalista responsável: Terezinha Leite
E-mail: terezinha.ascom@emater.mg.gov.br
www.emater.mg.gov.br
facebook.com/ematerminas
Arte: Divulgação Emater-MG