Desvalorização do café na Bolsa de NY mexe com os preços no Brasil

Imprimir

 

Na fazenda Jacarandá, município de Três Pontas, o café plantado em 500 hectares começa a ser colhido em abril deste ano. Guilherme Miranda espera uma produção de 18 a 20 mil sacas e pretende vender por, pelo menos, R$ 400.

Em 2012, o cafeicultor colheu 25 mil sacas e negociou por R$ 370 em média.

O ano de 2012 terminou com uma safra de um pouco mais de 38 milhões de sacas de café arábica, quantidade 19% maior do que a obtida em 2011, ano considerado de safra curta para o café.

A cultura é bienal, alterna anos de produção boa com outros de redução. Com mais café no mercado, em 2012 as cooperativas ficaram com estoques elevados.

Uma das principais cooperativas da região está com cerca de 800 mil sacas no estoque, mas o presidente da cooperativa, Francisco Miranda, está otimista e afirma que o preço da não deve demorar para subir.

O agrônomo Leonardo Braga fala sobre o desenvolvimento da planta e Archimedes Coli Neto, presidente do Centro do Comércio de Café, fala sobre a expectativa de mercado para o primeiro semestre de 2013. Confira as entrevistas no vídeo acima com a reportagem completa.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *