Deputado repercute declaração do governador e diz que Minas tem que liderar luta por uma política para o café

Imprimir

O presidente da Frente Parlamentar do Café, deputado federal Carlos Melles, repercutiu as declarações do governador Antônio Augusto Anastasia, durante entrevista em Piumhi, na sexta-feira (28), sobre a falta de uma política pública efetiva para o café. “A Frente Parlamentar do Café aplaude o governador, por ele ter percebido que as colocações que fizemos com ele ao longo do tempo, de que realmente Minas precisa participar muito na formulação mineira e nacional da política do café e do leite, mas sobretudo do café que é o grande gerador de empregos no estado e no país”, declarou o deputado.

Para Melles, o governo do estado tem que estar à frente de mobilizações nessa questão, pois é o maior produtor de café do país. “Minas é responsável por mais de 50% do café produzido no Brasil. É como se Minas fosse o país maior produtor de café dentro do Brasil”, comparou o parlamentar.

Ele explicou que o problema neste ano se grava porque “Minas e o Brasil colhem a segunda ou a primeira maior safra e suas histórias e não existe política de sustentação”, disse Melles.
“É verdade que tem que ser uma política federal, mas é verdade também que Minas é quem mais sofre. Por isso, é o estado que tem que liderar a luta em prol da melhoria de políticas para o produtor, como faz a Frente Parlamentar do Café e as cooperativas”, comentou Carlos Melles.

O parlamentar, que há mais de 20 anos preside uma cooperativa de café, a Cooparaíso, enfatiza que “todos tem que sair em defesa do produtor e do trabalhador rural de Minas, onde existe mais de dois milhões de trabalhadores autônomos e sem registro, de acordo com os últimos dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). São 17 milhões de trabalhadores rurais sem enquadramento, sem cidadania e sem inclusão e isso faz muita diferença na vida das pessoas”, explicou Melles, lembrando que “como o café é o maior gerador de empregos, ainda que seja durante quatro ou cinco meses, no período da colheita, nas mais diversas regiões do Estado e isso merece atenção especial”.

Anastasia e o café – Perguntado pelo Coffee Break se o café, sendo tão importante para Minas, teria atenção especial em seu plano de governo como pré candidato, para resolver definitivamente os problemas de quem o produz, o governador Anastasia reconheceu que o problema é o preço do produto pago ao produtor, que não cobre os custos e produção. Ele prometeu que o governo de Estado irá apresentar um plano ao governo federal, que contemple a compra de café. “Nós estamos trabalhando juntamente com a Federação de Agricultura de Minas Gerais e com as lideranças das grandes cooperativas dos produtores de café de Minas para apresentar um grande plano ao governo federal, especialmente referente a essa grande safra que será colhida este ano, que pode ser a maior safra da história do Brasil. Isso trará um grande problema de preço e essa questão deve ser atendida pelo governo federal através da compra do excesso da produção”, disse o governador Anastasia.

Na quinta-feira (27), um dias antes da visita a Piumhi, Melles teve uma audiência com o governador, onde reiterou sua preocupação com o café. Por sua vez, em sua entrevista Anastasia concordou com Carlos Melles sobre a importância do café para o país e para Minas: “O café é a maior riqueza de Minas hoje. Temos mais da metade da produção brasileira, que é a maior do mundo. Se Minas fosse um país, seria o maior produtor. Lamentavelmente, pela federação brasileira atual, os estados federados têm poucos instrumentos de política econômica, que estão concentrados no governo federal, aí a política econômica acaba sendo muito privativa do governo federal”, explicou ele. O governador prometeu que esse plano será apresentado ao governo federal nos próximos dias.

Fonte: Coffee Break

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *