Demanda por café robusta cresceu 5% em 2011, diz Sergio Tristão

Imprimir

A demanda por café robusta utilizado principalmente no instante da bebida misturas cresceu 5 por cento no ano passado, estimulado pelos mercados emergentes, de acordo com a Cia Tristão de Comércio Exterior. “Uma grande parte do crescimento do consumo de café ocorreu em países onde o café instantâneo era o preferido”, disse Sérgio Tristão, presidente da Cia Tristão , empresa sediada em Vitória , Espírito Santo , durante uma entrevista em uma conferência da indústria em Charleston, South Carolina. A empresa, fundada em 1935 pelo avô de Sérgio, José Ribeiro Tristão, é uma das quatro maiores fabricantes de café solúvel no Brasil.

O Brasil vai produzir 55 milhões de sacas de café este ano, ante 48 milhões em 2011, disse Tristão. A safra de 2012 vai incluir cerca de 15 milhões de sacas de robustas, conhecidos localmente como conillon, e o restante será grãos arábica.

A colheita tradicionalmente tem alternado entre altas e baixas ciclos bienais. A diferença de um ano para a próxima está diminuindo, bem capitalizado fertilização aumento produtores e os agricultores mais adicionar irrigação, reduzindo as amplas oscilações nos rendimentos, disse Tristão .

O café arábica pode negociar em US $ 1,50 a US $ 2 por libra na ICE Futures dos EUA em Nova York para o resto do ano, disse ele. O preço fechou hoje a 1,7875 dólares, abaixo de 42 por cento desde que atingiu uma alta de 14 anos de $ 3,089 em maio. “O que aconteceu no ano passado foi que mais pessoas entraram no mercado de apostas de que o consumo irá aumentar com a população mundial, mais rápido que a produção”, disse Tristão. “Agora temos um fornecimento mais equilibrado e crescimento da demanda.”

Fonte: Bloomberg via Café da Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *