Cup of Excellence: 80 amostras de café especial se classificam para fase final

Imprimir

Lotes são originários da Alta Mogiana (SP), Cerrado Mineiro, Chapada Diamantina (BA), Mantiqueira de Minas, Matas de Minas, Montanhas do Espírito Santo e Sul de Minas.

 O júri nacional definiu, na sexta-feira, 14 de outubro, as amostras de café que se classificaram para a fase internacional do Cup of Excellence – Brazil 2016, principal concurso de qualidade do País, que é desenvolvido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE).

Foram selecionados 80 lotes que tiveram nota igual ou superior a 86 pontos na escala de zero a 100 do certame, sendo 40 na categoria “Naturals” (cafés naturais, secos com casca) e outros 40 na “Pulped Naturals” (cerejas descascados/despolpados), que são originários da Indicação de Procedência da Alta Mogiana (SP), da Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, da Chapada Diamantina (BA), da Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais, das Matas de Minas, das Montanhas do Espírito Santo e do Sul de Minas Gerais.

Na categoria “Naturals”, a origem produtora que mais classificou cafés foi a Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais, com 12 amostras (30%). Na sequência, vieram o Sul de Minas, com oito (20%); a Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com sete (17,5%); as Matas de Minas, com cinco (12,5%); a Indicação de Procedência da Alta Mogiana, com quatro (10%); a Chapada Diamantina, com três (7,5%); e as Montanhas do Espírito Santo, com uma amostra (2,5%). O resultado completo pode ser conferido no site da BSCA (http://cup.bsca.com.br/file/download/id/2839).

A região que mais se destacou na categoria “Pulped Naturals” foi a Chapada Diamantina, classificando 25 lotes (62,5%) para a fase internacional, sendo seguida pelas Matas de Minas Gerais, com oito (20%); Montanhas do Espírito Santo, com quatro (10%); Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais, com duas (5%); e pelo Sul de Minas, com uma (2,5%) amostra classificada. A lista dos produtores classificados também está disponível no site da BSCA (http://cup.bsca.com.br/file/download/id/2838).

Segundo a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, as adversidades climáticas interferiram negativamente em algumas regiões neste ano. “Os resultados nos demonstram como as chuvas do início de junho influenciaram a qualidade da safra, principalmente no exemplo da categoria Pulped Naturals, que teve a maioria das amostras classificadas vindo de regiões onde não choveu. Apesar da ausência de outras origens, os cafés classificados são excepcionais”, comenta.

De 23 a 29 de outubro, o júri internacional do concurso avaliará os cafés classificados e os que voltarem a obter nota igual ou superior a 86 serão eleitos “Cup of Excellence Winners” das categorias “Pulped Naturals” e “Naturals” do certame, ganhando o direito de serem comercializados em disputado leilão via internet. O preço mínimo de abertura será de US$ 5,50 por libra peso, ou US$ 727,50 por saca de 60 kg. Mais informações sobre o concurso podem ser obtidas no site da BSCA (www.bsca.com.br).

SOBRE O PROJETO SETORIAL

O Cup of Excellence – Brazil 2016 é ação integrante do projeto setorial Brazil. The Coffee Nation, que é desenvolvido em parceria pela BSCA e a Apex-Brasil, tendo como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no País.

O projeto visa, também, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros. Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto vai de maio de 2016 ao mesmo mês de 2018 e os mercados-alvo são: (i) EUA, Canadá, Japão, Coreia do Sul, China/Taiwan, Reino Unido, Alemanha e Austrália para os cafés crus especiais; e (ii) EUA, China, Alemanha e Emirados Árabes Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

Mais informações para a imprensa

BSCA – Assessoria de Imprensa

Paulo André Colucci Kawasaki

(61) 98114-6632 / ascom@bsca.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *