Cooxupé investirá em unidade de torrefação

Imprimir

A Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé) assinou nesta semana junto à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e ao Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi) protocolo de intenção que prevê investimentos de R$ 15,8 milhões na implantação de uma unidade industrial de torrefação de café em Guaxupé, no Sul de Minas.

Segundo informações divulgadas ontem pelo governo de Minas, a expectativa é de que, com o investimento, a torrefação realizada pela cooperativa, que hoje está em torno de 300 mil quilos por mês, passe para cerca de 500 mil quilos.

A cooperativa mantém o foco na produção para o consumo interno de café, mas tem ampliado a produção de cafés especiais, que já conquistaram o paladar dos asiáticos e europeus.

A Cooxupé conta hoje com mais de 12 mil cooperados, sendo 84% deles pequenos produtores de mais de 200 municípios da região. "Reunimos a maior e melhor produção de café do Estado, portanto esse investimento será bom não só para a Cooxupé mas para todo o Estado", afirma o diretor-presidente da Cooxupé, Carlos Alberto Paulino.

Incentivos – Também nesta semana foi firmado um acordo de cooperação técnica entre a Sede e a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com colaboração da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) para capacitar representantes de entidades regionais ligadas à Associação das Matas de Minas, na Zona da Mata. O objetivo é melhorar a qualidade e a ampliação da comercialização de cafés especiais.

O treinamento abrange desde o envio de amostras, comercialização direta do café e cotação de preços no mercado internacional até o desenvolvimento de estratégias de benchmarking para os produtores.

As empresas interessadas na internacionalização de suas atividades terão ainda o suporte da Exportaminas, para receberem orientações sobre as principais demandas do mercado internacional.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Rogério Nery, a iniciativa é de extrema importância e revela os esforços do Governo do Estado em torno da articulação necessária a fim de ampliar a competitividade do setor. "O Estado não mede esforços para viabilizar iniciativas que melhorem os diferentes setores da economia, como o agronegócio", reforça.

A região das Matas de Minas é composta por 63 municípios diretamente ligados à produção de cafés especiais. A área é composta por cerca de 36 mil produtores de café, que geram mais de 230 mil empregos diretos e indiretos. A expectativa é que seja feito um mapeamento das principais demandas do setor na região, com a criação de uma agenda para o ano de 2015.

"O acordo nos permitirá ter ações mais planejadas e articuladas na região das Matas de Minas. Essa capilaridade nos ajudará a melhorar e atuar de forma mais eficaz na região", afirma a coordenadora da Exportaminas, Fernanda Cimini.

Premiado – O presidente da Associação das Matas de Minas, Eduardo Ribeiro, destacou a importância do café da região, premiado nacionalmente. O produto tem sido comercializado não só no mercado interno, como também cotado a ser exportado para países da Europa e Ásia, que nos últimos anos têm aumentado o consumo do café brasileiro.

"Para nós, da região, é muito importante essa articulação. Vemos que a união entre cafeicultores, associação e governo dá resultado. Agora esperamos que, a partir desse termo, possamos desenvolver outras inciativas em prol do cafés produzidos nas Matas de Minas", acredita.

O subsecretário do Agronegócio da Seapa, Antonio Gama, juntamente com o secretario Rogério Nery, também debateu a importância do desenvolvimento do turismo na região, tendo como foco a indústria do café, com destaque para o café especial.

"As Matas de Minas têm cafés com qualidade reconhecida. Agora temos que pensar na melhoria de toda região por meio da exploração do potencial turístico e a geração de empregos de qualidade, que trará riqueza e dinamizará as Matas de Minas", acredita. As informações são da Agência Minas.

Fonte: Diário do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *