Consumo mundial de café manterá taxa de crescimento de 1,5% em 2012

Imprimir

O consumo mundial de café não será prejudicado pela desaceleração de importantes economias e manterá uma taxa de crescimento anual de 1,5% em 2012, de acordo com a Organização Internacional de Café (OIC). "Nós vimos o café muito resistente à atual crise", informou Robério Oliveira Silva, diretor executivo da OIC durante um festival internacional do produto. Segundo ele, o consumo do grão subiu para 136,5 milhões a 137 milhões de toneladas em 2011, ante 135 milhões de sacas em 2010.

A produção também deve aumentar na temporada que começará em 1º de abril, afirmou Silva, na comparação com 132,4 milhões de sacas em 2011/12, devido à safra melhor no Brasil. Silva não forneceu projeções específicas para 2012/13, mas descartou os temores de que a produção pode criar um descompasso entre a oferta e a demanda. "O que o mundo estava esperando é que o Brasil criará um desequilibro na relação de oferta e demanda. Isso não vai acontecer, uma vez que não haverá uma colheita tão grande", disse ele.

A produção brasileira deve crescer para 50,6 milhões de sacas em 2012/13, acima das 43,5 milhões de sacas vistas em 2011/12. Do total, quase 33 milhões de sacas devem ser exportadas no próximo ano comercial. Mas o nível dos estoques mundiais não deve subir acentuadamente em 2012/13 por causa da safra melhor esperada para o Brasil, explicou Silva.

"Eles, o Brasil, virão ao mercado com uma safra que fica absolutamente dentro das necessidades do mercado", informou o executivo da OIC. "Eu discordo totalmente das visões sobre um salto forte dos estoques, ainda que o mercado venha dizendo isso há algum tempo."

Silva prevê um "crescimento fenomenal" da demanda por café no longo prazo. "Estamos tendo um impulso muito bom de países produtores e mercados emergentes. A Índia, por exemplo, está vindo ao mercado com força."

O consumo do grão no país sul asiático se proliferou na última década com a entrada de cafeterias de marca até mesmo em pequenas cidades. Segundo Anil K. Bhandari, presidente do India Coffee Trust, a Índia pode se tornar um importador nos próximos cinco anos. Com informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado adaptada pela CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *