Consumo de café cresce nos EUA e supera refrigerantes

Imprimir

O consumo diário de café aumentou sete pontos percentuais, fazendo com que a bebida ultrapassasse os refrigerantes, de acordo com o 2012 National Coffee Drinking Trends, estudo publicado pela Associação Nacional do Café dos EUA (NCA). De acordo com a NCA, os novos números refletem mais precisamente o comportamento de consumo da demografia norte-americana contemporânea através de amostras que refletem estatisticamente os segmentos populacionais hispânico e afro-americano.

Os entrevistados que informaram consumir café durante a semana anterior aumentaram de 68 para 73%; para consumo durante o último ano, este percentual aumentou de 76 para 78%. O consumo diário de café, praticamente empatado com o de refrigerantes por muito tempo, alcançou uma liderança sólida de mais de 10 pontos percentuais, observou a NCA.
O aumento de consumo ocorreu em todas as faixas etárias e foi mais significativo entre a população entre 18 e 39 anos. Entre aqueles com 18 a 24 anos, o consumo cresceu de 40% para 50%; e para a faixa etária de 25 a 39 anos, de 54% para 63%.

O consumo de café gourmet também aumentou, passando de 37% de todos os copos de café consumidos nos EUA em 2011 para 46% em 2012. Dentre os tipos de café, o maior crescimento experimentado foi das bebidas gourmet. Em 2011, 25% dos norte-americanos disseram que consumiram café gourmet no dia anterior, enquanto em 2012 esse percentual aumentou para 32%.

O relatório de 2012 mostra que a adoção dos consumidores do formato de preparo por doses únicas continua a aumentar. A posse de uma máquina de cápsulas cresceu para 10%, diante de 7% em 2011, e 36% dos proprietários afirmaram possuir essa máquina há menos de seis meses. A percepção de qualidade do café obtido de um sistema de dose única continuou a melhorar, com 25% classificando as máquinas como “excelentes” comparados com 15%  que afirmaram o mesmo no ano passado. Combinando os respondentes que consideraram as máquinas de dose única como “excelentes” e “muito boas”, o percentual cresce para 57% favoráveis este ano, acima dos 45% em 2011.

Fonte: Vending Times (Tim Sanford) via Rede Social do Café
Tradução: Bureau de Inteligênca Competitiva do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *