Consórcio Pesquisa Café cria comissões para reestruturação

Imprimir

Em sua 7ª edição, o Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil será marcado pela consciência de que toda organização precisa de constante atualização e disposição para mudanças. Durante o evento, foram realizadas reuniões dos coordenadores institucionais do Consórcio Pesquisa Café, que resultou na criação de duas comissões, estratégica e operacional, responsáveis pela consulta, análise e definição dos rumos que se espera para o modelo de articulação que inovou o programa de pesquisa cafeeira no Brasil e se tornou referência para outras culturas.

A comissão operacional ficará encarregada, entre outros desafios, de sugerir novas atribuições aos próprios coordenadores institucionais, para que sejam articuladores de programas de pesquisa imbuídos dos princípios de rede. Esta comissão terá como coordenador o professor de Cafeicultura da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Rubens José Guimarães.

A comissão estratégica, que será coordenada pelo professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Laércio Zambolim, terá uma participação efetiva na articulação para busca e aplicação de recursos (federal, estadual e privado), além de propor uma revisão dos termos de referência do Consórcio Pesquisa Café.

O trabalho das comissões visa a propiciar mais autonomia e voz aos representantes institucionais, ao Conselho Diretor e à própria gerência do Consórcio na tomada de decisões. Na avaliação do professor e representante institucional da UFLA, Rubens Guimarães, vive-se o momento mais importante desde a criação do Consórcio, o que vai exigir o envolvimento de todos. “É a primeira vez em que se repensa o papel do Consórcio em todas as instâncias”, considera.

Para o representante institucional do Incaper no âmbito do Consórcio, Romário Gava Ferrão, toda organização tem a necessidade de reestruturação. “Os encaminhamentos vão resultar em um Consórcio ainda mais forte, com maior visibilidade e compartilhamento, visando a resultados mais aplicáveis a competitividade da cafeicultura”, enfatizou, lembrando que o Consórcio representa um arranjo que reúne as principais instituições que trabalham com o café no país, com o desafio de acompanhar as demandas de inovação que o mercado exige.

O gerente interino da Embrapa Café, Paulo César Afonso Júnior, também participa da iniciativa de reestruturação. “Começamos a pensar em reconstruir o Consórcio, buscando um novo rumo, com visão de futuro. Este é o momento de fazermos esta reavaliação, pensando o programa de pesquisa de forma ordenada, estratégica para o Consórcio e, ao mesmo tempo, que tenha viabilidade operacional”, completou Paulo César, destacando ainda que a discussão com os representantes institucionais dará mais celeridade ao processo.

Fonte: Pólo de Excelência de Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *